ISSN - Versão Impressa: 0102-3616 ISSN - Versão Online: 1982-4378

Resultados da Busca

Ordenar:

Mostrando de 1 até 20 de 383 resultado(s)

Busca por: Influência da artroplastia total de quadril sobre o equilíbrio sagital lombopélvico: Avaliação dos parâmetros radiográficos*

Influência da artroplastia total de quadril sobre o equilíbrio sagital lombopélvico: Avaliação dos parâmetros radiográficos*

Saulo Fouani de Miranda; Vitor Gustavo de Paiva Corotti; Phelipe Menegaz; Welington Ueda; Emiliano Neves Vialle; Luiz Roberto Vialle

Rev Bras Ortop. 2019;54(6):657-664 - Artigo Original

OBJETIVO Analisar prospectivamente as variáveis radiográficas do equilíbrio sagital da coluna lombossacral no pré e pós-operatório dos pacientes submetidos a artroplastia total de quadril (ATQ).
MÉTODOS Estudo prospectivo, observacional e comparativo que avaliou parâmetros radiográficos pré e pós-operatórios imediatos de 71 pacientes submetidos a 72 ATQs em três anos (2014-2017) por coxartrose primária, dos quais 28 fizeram controle pós-operatório tardio (6 meses), através do programa Surgimap Spine (Surgimap, Nova York, NY, EUA). A análise estatística foi feita com o teste t de Student, o modelo de análise de covariância (ANCOVA, na sigla em inglês) e o teste de Kolmogorov-Smirnov. Os dados foram analisados com o programa IBM SPSS Statistics for Windows, Versão 20.0 (IBM Corp., Armonk, NY, EUA). Valores de p < 0,05 indicaram significância estatística.
RESULTADOS Os 72 casos avaliados apresentaram uma idade média de 57,9 anos, com predominância do sexo feminino (60,6%) e de pacientes > 50 anos (71,8%). Houve uma diminuição global nos valores da lordose lombar no pós-operatório imediato, sem grandes alterações globais na evolução tardia. Aferiu-se que pacientes com uma incidência pélvica ≥ 60° tendem a ter os demais parâmetros do equilíbrio sagital elevados.
CONCLUSÃO Não houve diferença significativa entre as variáveis radiográficas do equilíbrio sagital lombopélvico nos períodos avaliados. A lordose lombar e a incidência pélvica foram os principais fatores modificantes. A melhoria da lombalgia pós-ATQ sem alterações desses parâmetros sugere diferentes mecanismos da patologia ainda a serem esclarecidos.


Palavras-chave: artroplastia de quadril; coluna vertebral; dor lombar.

Avaliação dos resultados clínicos e radiográficos da artroplastia total cimentada do quadril em 477 pacientes

Guydo Marques Horta Duarte; Luiz Ronaldo Alberti

Rev Bras Ortop. 2019;54(4):459-464 - Artigo Original

OBJETIVO Avaliar os resultados da artroplastia total do quadril (ATQ) cimentada, coma utilização da técnica e prótese da escola Exeter.
METÓDO Entre março de 2000 e dezembro de 2006, foram realizadas 504 ATQs em 477 pacientes, com diversos diagnósticos etiológicos, 260 à direita e 244 à esquerda, 27 bilaterais,. A idade média foi de 58,9 (17,7–86,8) anos, com mediana de 69,0 anos. O planejamento radiográfico foi feito utilizando-se gabaritos apropriados. O acesso cirúrgico foi o posterolateral com o paciente em decúbito lateral. Para a avaliação clínica, foi utilizado o escore do quadril de Harris (EQH). Na avaliação radiográfica, foi estudada a interface osso-cimento acetabular, nas três zonas de DeLee e Charnley e nas sete zonas de Gruen do lado femoral, a presença de migração distal do componente femoral, hipertrofia diafisária, e ossificação heterotópica.
RESULTADOS O seguimento médio de 441 cirurgias (87,5%) foi de 7,2 (1,0–16,6) anos, com mediana de 7,1 anos. A incidência de complicações foi: luxação, 3,2%; infecção ,2,2%; tromboembolismo, 2,1%; disfunção de nervos periféricos 1,1%; hipertrofia diafisária, 1,5%; soltura do componente acetabular, 1,8%; migração distal do componente femoral entre 2,0mm e 2,9 mm, 0,45%; 1 caso de soltura asséptica do componente femoral; e 1 caso de fratura da haste femoral. A pontuação média com o EQH foi de 92 pontos.
CONCLUSÃO A ATQ cimentada, com a metodologia utilizada, constituiu-se em uma opção eficaz para o tratamento deste grupo de pacientes, comresultados satisfatórios, com este tempo de seguimento.


Palavras-chave: artroplastia de quadril; prótese de quadril; cimentos para ossos; osteoartrite do quadril; articulação do quadril

Equilíbrio e qualidade de vida após artroplastia total de joelho

Daniel Araujo Fernandes; Lisiane Schilling Poeta; Cesar Antônio de Quadros Martins; Fernando de Lima; Francisco Rosa

Rev Bras Ortop. 2018;53(6):747-753 - Artigo Original

OBJETIVO: Avaliar o equilíbrio e a qualidade de vida em pacientes submetidos a artroplastia total do joelho por gonartrose primária.
MÉTODO: Pacientes com 60 anos ou mais foram avaliados em relação ao equilíbrio e à qualidade de vida antes da artroplastia total de joelho e seis meses após a cirurgia. Para avaliar o equilíbrio, foi usado o teste da Escala Motora para a Terceira Idade; para avaliar a qualidade de vida, foram usados os questionários Western Ontario and McMaster Universities Osteoarthritis Index e Short Form Health Survey. Um grupo controle de indivíduos saudáveis, pareado por idade e gênero, foi usado para comparação dos níveis de equilíbrio do grupo em estudo após a cirurgia.
RESULTADOS: Completaram o estudo 28 pacientes, em 37 artroplastias. A média de idade foi de 70,18 ± 6,17 anos. Em todas as variáveis analisadas, observou-se significância estatística (p ≤ 0,05) para melhoria do equilíbrio e da qualidade de vida após a artroplastia. Observou-se que, após artroplastia do joelho, o nível de equilíbrio não alcança o nível esperado para indivíduos saudáveis (p ≤ 0,05).
CONCLUSÃO: A artroplastia total de joelho é capaz de melhorar o equilíbrio seis meses após a cirurgia, bem como todos os domínios da qualidade de vida. No entanto, não é capaz de restaurar o equilíbrio comparável àquele dos indivíduos saudáveis.


Palavras-chave: Artroplastia total do joelho; Equilíbrio postural; Idoso; Osteoartrite; Qualidade de vida

Artroplastia total em quadril anquilosado *

ANTÔNIO ANDRADE DE FREITAS; JOSÉ WAGNER DE BARROS; CÉLIO DONIZETE FERREIRA

Rev Bras Ortop. 1994;29(4):- - Artigo Original
No período de fevereiro de 1990 a setembro de 1992, 11 pacientes com quadris anquilosados foram submetidos a 14 artroplastias totais. Todos foram reavaliados clínica e radiologicamente, com seguimento médio de 28 meses. As análises realizadas subjetiva e objetivamente, segundo o método de Merle D`Aubigné & Postel, mostraram em sua maioria bons resultados.

CONCEITOS ATUAIS SOBRE EQUILÍBRIO SAGITAL E CLASSIFICAÇÃO DA ESPONDILOLISE E ESPONDILOLISE

Marcos Antonio Tebet

Rev Bras Ortop. 2014;49(1):3-12 - Atualizaçao
 Objetivo: O tratamento da espondilólise e da espondilolistese permanece um desafio para ortopedistas, neurocirurgiões e pediatras. Nas espondilolisteses, tem sido claramente demonstrado na última década que a morfologia sacro-pélvica está anormal e que isso pode estar associado a uma anormal orientação sacro-pélvica e também alterar o equilíbrio sagital global da coluna. Este artigo apresenta a classificação SDSG (Spinal Deformity Study Group) da espondilolistese lombossacral. As propostas de tratamento para a espondiolistese são dependentes do reconhecimento do tipo de deslizamento, equilíbrio sacro-pélvico e balanço sagital e de sua história natural. Apesar de haver diversos achados clínicos e radiográficos que são identificados como fatores de risco de progressão, os fatores primários ou secundários que causam a progressão permanecem obscuros. O tratamento conservador para espondilolistese ístmica do adulto apresenta bons resultados na maioria dos casos. Naquelesemque há falha do tratamento conservador, o resultado do tratamento cirúrgico também é bom, com melhoria significativa da função neurológica tanto quanto melhoria da dor lombar. Descritores - Espondilolistese Espondilólise/classificação Equilíbrio postural Radiografia panorâmica

NOVAS SUPERFÍCIES EM ARTROPLASTIA TOTAL DO QUADRIL

Carlos Roberto Schwartsmann; Leonardo Carbonera Boschin; Ramiro Zilles Gonçalves; Anthony Kerbes Yépez; Leandro de Freitas Spinelli

Rev Bras Ortop. 2012;47(2):154-159 - Atualizaçao
A artroplastia total do quadril tem sido indicada cada vez mais em pacientes mais jovens e ativos, além de haver uma natural e crescente demanda do procedimento em função do aumento da expectativa de vida dos pacientes. Os altos custos da cirurgia e as controvérsias da performance dos implantes fazem deste assunto objeto de constantes pesquisas na busca de novos materiais com melhores resistências ao desgaste e biocompatibilidade. O presente artigo abrange um estudo de revisão das novas superfícies em artroplastia total do quadril. Descritores - Artroplastia de Quadril/história; Artroplastia de Quadril/métodos; Artroplastia de Quadril/estatística & dados numéricos.

Autotransfusão sanguínea em artroplastia total do quadril

PAULO G. C. DE ALENCAR; JOHNNY CAMARGO; ALEXANDRE TADEU MEYER; LÚCIO ERNLUND; SÉRGIO MOLINARI

Rev Bras Ortop. 1994;29(6):- - Artigo Original
Foram feitas coletas de sangue no período pré-operatório em 91 pacientes submetidos a 107 artroplastias totais do quadril, com o objetivo de ser utilizado para autotransfusão. Foram coletadas 220 unidades de sangue e reinfundidas 197 (média de 2,05 e 1,84 unidades por operação, respectivamente). Houve necessidade de complementação com sangue homólogo em quatro ocasiões (3,62%). Os critérios de indicação de transfusão foram baseados na evolução clínica dos pacientes. Apenas o valor do volume globular baixo não foi considerado como indicação de transfusão. Não houve complicações que pudessem ser atribuídas à coleta ou utilização do sangue autólogo. A evolução clínica dos pacientes foi normal em todos os casos. Não houve caso de infecção. Notou-se um esforço coletivo por parte de todos da equipe cirúrgica para redução de transfusão sanguínea. Isso resultou em menor utilização do estoque do banco de sangue e maior segurança para os pacientes, evitandose os riscos da transfusão de sangue homólogo.

Artroplastia total de quadril minimamente invasiva *

LEONARDO CARBONERA BOSCHIN; MARCO AURÉLIO TELOKEN; LUÍS ALBERTO RUBIN; MARLON SCHLEDER CORREA; PABLO MARIOTTI WERLANG; CARLOS ROBERTO SCHWARTSMANN

Rev Bras Ortop. 2003;38(11/12):- - Artigo Original
A artroplastia total de quadril é comumente realizada utilizando abordagem posterior através de uma incisão com 15-25cm de comprimento. A abordagem modificada da via posterior permite que a artroplastia total de quadril seja realizada através de uma incisão com 7-10cm (34 polegadas). A maioria dos pacientes com índice de mas-sa corporal menor do que 30 que não apresentam cirurgias prévias é candidata a essa abordagem. A incisão é centra-da no aspecto posterior da grande trocanter e afastadores especialmente desenhados para esse tipo de cirurgia são utilizados. Tanto implantes cimentados como não cimentados foram utilizados. Os pacientes recebem profilaxia farmacológica antitrombolítica e antibiótica e seguem um protocolo de reabilitação pós-operatório básico. Uma revisão dos primeiros 22 casos operados desde abril de 2002 demonstrou que o tempo cirúrgico médio foi de 113 minutos; o tamanho médio da incisão foi de 86mm; o sangramento intra-operatório foi de 388mm e o pós-operatório, de 581mm. O índice de dor pós-operatório foi de 3,14. Não houve casos de infecção profunda, luxação ou lesão neurovascular, bem como falência ou afrouxamento precoces.

Influência do grau de artrose femoropatelar no resultado da artroplastia total do joelho, sem o uso do componente patelar*

RAIMUNDO ERI DE ARAÚJO BARBOSA; LUCIANO DA ROCHA LOURES PACHECO; PAULO GILBERTO CIMBALISTA DE ALENCAR

Rev Bras Ortop. 2003;38(8):- - Artigo Original
Os autores apresentam estudo retrospectivo de 46 artroplastias totais primárias de joelho em 43 pacientes (três bilaterais), realizadas no período de janeiro de 1996 a outubro de 1999. Nos casos em que não foi utilizado componente patelar, o grau de artrose femoropatelar pré-opera-tório foi classificado, sendo os pacientes divididos em grupos de comprometimento articular leve (I), moderado (II) e grave (III), e comparados com grupo controle (IV), em que a substituição da superfície articular da patela foi realizada. Em todos os casos foi utilizado um único mode-lo de prótese e o diagnóstico foi de osteoartrose, sendo excluídas do trabalho operações em pacientes com doenças inflamatórias e de natureza sistêmica, de modo a permitir avaliação de um grupo de pacientes mais homogêneo. Nenhum paciente deixou de ser avaliado ou teve seu seguimento perdido. O tempo médio entre a operação e a última avaliação foi de 28,9 meses, com mínimo de 18 e máximo de 42 meses. A média de idade foi de 69,6 anos, variando entre 53 e 82 anos. A avaliação pelos critérios do sistema clínico de pontuação de joelho do Hospital for Special Surgery (HSS), realizada por único examinador, apresentou pontuação média de 85,22 (para um total de 100), com 25,54 pontos (num total de 30) para o item dor. As amostras foram testadas nas variáveis idade, tempo de seguimento e HSS em todos os grupos. Os resultados indicaram não existir diferença estatisticamente significante na utilização ou não do componente patelar em artroplastia total do joelho, independentemente do grau de artrose femoropatelar pré-operatório.

Trombose venosa profunda em artroplastia total de quadril*

ALEJANDRO CASSONE; ALEXANDRE DE CHRISTO VIEGAS; GUILHERME TUROLLA SGUIZZATTO; HENRIQUE ANTÔNIO BERWANGER DE AMORIM CABRITA; MARCOS DE AMORIM AQUINO; MARIA ELIZABETH FURLANETO; RODRIGO BEZERRA DE MENEZES REIFF; LUIZ EUGÊNIO GARCEZ LEME; MARCO MARTINS AMATUZZI

Rev Bras Ortop. 2002;37(5):- - Atualizaçao
A artroplastia total do quadril (ATQ) é procedimento eletivo, realizado em indivíduos relativamente saudáveis. Pacientes submetidos a este tipo de operação, no entanto, apresentam risco para o desenvolvimento de doença tromboembólica venosa e embolia pulmonar. Os fenômenos tromboembólicos representam as complicações mais comuns de ATQ e são a maior causa de morte nos três primeiros meses após a operação, respondendo por mais de 50% da mortalidade pós-operatória(1). A seleção de um método eficaz de profilaxia desses fenômenos e um adequado conhecimento de suas peculiaridades terapêuticas são, pois, parte inerente à segurança desse procedimento cirúrgico. O surgimento de métodos cientificamente eficazes para esse propósito propiciou óbvia diminuição do risco cirúrgico e dos custos hospitalares, o que redunda em maior segurança para o paciente e o cirurgião; no entanto, ainda não há consenso na literatura sobre alguns pontos, como a duração apropriada do tratamento, a ocorrência de eventos tromboembólicos após a alta hospitalar e o papel da investigação diagnóstica para fenômenos assintomáticos. O objetivo deste trabalho é estruturar uma revisão descritiva desse tema, ressaltando aspectos sobre a profilaxia, diagnóstico e tratamento da doença tromboembólica, como complicação de ATQ. Unitermos - Artroplastia total de quadril; trombose venosa profunda; tromboembolismo pulmonar; diagnóstico; prevenção; tratamento

Avaliação cintilográfica de artroplastia total não-cimentada de quadril*

CARLOS ALBERTO DE SOUZA MACEDO; CARLOS ROBERTO GALIA; ANDRÉ VINÍCIUS SAUERESSIG KRUEL; HEBERTON BARANCELLI TIMM; MARTA GOLDMAN FEDER; CLARICE SPRINZ; DANIEL RODRIGO KLEIN

Rev Bras Ortop. 2003;38(7):- - Artigo Original
Foram selecionados 40 pacientes assintomáticos (45 quadris) pós-artroplastia total de quadril (ATQ) não-cimenta-da Bicontact ® e submetidos à cintilografia quantitativa com tecnécio, com objetivo de estabelecer um padrão normal de captação. Foram delimitadas regiões periprotéticas de interesse no acetábulo e fêmur, e utilizados como controle o fêmur contralateral e sacroilíacas, estabelecendo-se razões matemáticas. Houve queda da captação em todos os parâmetros junto à ATQ, à exceção da relação ponta da haste/terço médio, que permaneceu constante. Nas médias de captação para o acetábulo, houve queda significativa aos 12 meses, enquanto que o fêmur diminuiu sua captação por completo somente aos 18 meses, mantendo-se constante após. Este estudo pode servir de referência cintilográfica para acompanhamento de pacientes submetidos à INTRODUCTION ATQ não-cimentada.

Artroplastia total do quadril com prótese CO-10: resultados preliminaries*

JOÃO RODRIGUES QUEIROZ; JOSÉ WAGNER DE BARROS

Rev Bras Ortop. 1994;29(3):- - Artigo Original
No perÍodo de 1989 a 1991, 34 pacientes foram submetidos a 41 artroplastias totais do quadril com prótese tipo CO-10. Todos foram reavaliados clínica e radiologicamente, com seguimento médio de 24 meses. Os resultados, analisados subjetiva e objetivamente Segundo o método usado por Merle D`Aubigné & Postel, mostraramse em sua maioria bons e excelentes.

Artroplastia total do quadril em pacientes com poliartropatias inflamatórias

PAULO G. C. DE ALENCAR; MARCELO ABAGGE; REGIANE ERIKA KOYAMA; OSVALDO NOBORU ICHI

Rev Bras Ortop. 1993;28(6):- - Artigo Original
Foram avaliadas 56 artroplastias totais do quadril a que foram submetidos 38 pacientes portadores de artropatias inflamatórias (artrite reumatóide, artrite reumatóide juvenil, espondilite anquilosante e artrite psoriática). A idade média dos pacientes no momento da operação foi de 38,8 anos. O tempo de seguimento pós-operatório foi no mínimo de um ano e no máximo de sete anos e sete meses (média de três anos e dois meses). De acordo com o método de avaliação de D`Aubigné-Postel, modificado por Charnley, 46 quadris (82,1%) apresentaram resultado bom, seis (10,7%), regular e quatro (7,1%), mau. Houve seis complicações significativas, sendo que quatro delas necessitaram reoperação. A incidência de ossificação heterotópica graus III e IV de Brooker foi de 14,2% nas radiografias de controle, mas não houve relação com diminuição da mobilidade articular nesses pacientes. O principal efeito da operação foi o alívio da dor dos pacientes, seguido de aumento na amplitude dos movimentos articulares. O efeito na melhora da capacidade de marcha não foi tão significativo, mas esse fato foi atribuído ao caráter poliarticular da doença.

Artroplastia total do quadril com prótese não cimentada

HUMBERTO ALBUQUERQUE; PAULO CEZAR V. C. ALBUQUERQUE

Rev Bras Ortop. 1993;28(8):- - Artigo Original
Os autores fizeram uma análise retrospectiva em 314 artroplastias, com próteses totais não cimentadas, no período de abril de 1986 a abril de 1992. O tempo mínimo de seguimento foi de 12 meses e o máximo de 72 meses, com média de 52,3 meses. A idade variou entre 18 e 64 anos, com média de 48 anos. Todos os pacientes foram avaliados objetivamente pelo método de Merle D`Aubigné e Postel e subjetivamente por suas opiniões sobre os resultados da cirurgia. As complicações transoperatórias mais freqüentes foram as fraturas metafisárias do fêmur, do grande trocanter e as perfurações do córtex femoral. O diagnóstico pré-operatório mais freqüente foi a osteoartrose. Os bons resultados representaram, em média, 73,20%, os medíocres, 14,28% e os maus, 12,51%.

EFICÁCIA DO USO DO TEMPLATING NA ARTROPLASTIA TOTAL DO QUADRIL

Fabio Stuchi Devito; Alceu Gomes Chueire; Cristiane Bonvicine

Rev Bras Ortop. 2013;48(2):178-185 - Artigo Original
Objetivo: Avaliar a eficácia do planejamento pré-operatório tradicional com o uso de templatings. Método: Quarenta e três radiografias antero-posteriores foram analisadas por três cirurgiões experientes (A, B, C) e comparadas. Os testes de concordância de Cohen Kappa e Kappa ponderado, com ponderação quadrática, foram usados para análise estatística, com um intervalo de confiança de 95%. Resultados: A avaliação pré-operatória dos cirurgiões A, B e C compreendeu a análise do tamanho da taça acetabular, haste e plug do canal distal do fêmur. O cirurgião A obteve uma concordância moderada em relação ao componente acetabular e substancial em relação à haste e ao plug; o cirurgião B obteve concordância moderada tanto em relação ao acetábulo quanto à haste e substancial em relação ao plug e o cirurgião C obteve concordância moderada em relação à análise do acetábulo e ao plug e substancial em relação à haste. O teste de concordância intraobservador demonstrou ligeira concordância em relação ao acetábulo e substancial em relação à haste e ao plug. Conclusão: O uso do templating no planejamento pré-operatório revelou-se eficaz; entretanto, houve prevalência de concordância de leve a moderada em relação ao tamanho do componente acetabular.. Descritores - Pelve Quadril/radiografia Artroplastia

ASSOCIAÇÃO ENTRE BURSITE TROCANTÉRICA, OSTEOARTROSE E ARTROPLASTIA TOTAL DO QUADRIL

Carlos Roberto Schwartsmann; Felipe Loss; Leandro de Freitas Spinelli; Roque Furian; Marcelo Faria Silva; Júlia Mazzuchello Zanatta; Leonardo Carbonera Boschin; Ramiro Zilles Gonçalves; Anthony Kerbes Yepez

Rev Bras Ortop. 2014;49(3):267-270 - Artigo Original
Objetivo:apresentar uma análise retrospectiva dos resultados clínico-funcionais e das complicações dos pacientes com artropatia do manguito rotador (AMR) submetidos à artro-plastia reversa do ombro. Métodos:foramselecionadospacientes comdiagnósticodeAMRassociadaàpseudoparalisia da elevação anterior submetidos à artroplastia reversa do ombro com seguimento mínimo de um ano. Resultados:foram coletadas informac ¸ões pré-operatórias, por meio do nosso Registro de Artroplastias do Ombro e Cotovelo, que consistiam em idade, sexo, lateralidade, história de procedimentos prévios, escores funcionais de Constant, além da amplitude de movimentos pré-operatórios, conforme protocolo da American Academy of Shoulder and Elbow Surgery (Ases). Com seguimento médio de 44 meses, 17 pacientes (94%) estavam satisfeitos com o resultado do procedimento. Conclusão:a artroplastia reversa no tratamento da AMR em pacientes com pseudoparalisia do ombro demonstrou-se efetiva na melhoria, com significância estatística, da amplitude de movimentos de flexão anterior e abdução. Porém, nesta série não houve melhoria da amplitude dos movimentos de rotação externa e interna. A artroplastia reversa é um proce-dimento que restabelece a função da articulação do ombro em pacientes que previamente não apresentavam possibilidades terapêuticas. Descritores - Artroplastia Ombro Artropatias Bainha rotadora Próteses e implantes

Artroplastia total do quadril por via de acesso póstero-lateral

PAULO G. C. DEALENCAR; MARCELO ABAGGE

Rev Bras Ortop. 1995;30(7):- - Artigo Original
A via de acesso póstero-lateral foi utilizada em 447 artroplastias totais do quadril (ATQ) em 396 pacientes (51 bilaterais), no período de outubro de 1987 a dezembro de 1993. Foram realizadas 287 operações primárias, 58 revisões de ATQ prévias e 102 conversões (operações prévias, que não ATQ). A duração da operação foi medida em 310 das 447 operações. As operações primárias foram completadas, em média, em 76 minutos, as revisões em 164 minutos e as conversões em 144 minutos. O sangramento durante a cirurgia foi medido em 243 ocasiões e foi de 326, 1.075 e 782ml nas operações primárias, revisões e de conversões, respectivamente. Foram registrados como complicações três óbitos no período pós-operatório precoce, cinco casos de infecção, sete fraturas intra-operatórias da diáfise femoral, seis casos de luxação da prótese e três casos de paralisia nervosa. Nas operações primárias não complicadas, a via de acesso póstero-lateral mostrou-se adequada com relação à rapidez do tempo de operação e ao baixo volume de sangramento, o que resultou em baixo índice de infecção e em menor necessidade de transfusão de sangue. Nos casos submetidos a revisões e conversões de operações prévias, a osteotomia do trocanter maior ou outra via de acesso mais ampla deve ser considerada, para que sejam reduzidos os riscos de complicações.

Artroplastia total do quadril com uso de próteses híbridas

PAULO G. C. DEALENCAR; WALMIR FRANCISCO SAMPAIO; JOÃO LUIZ VIEIRA DA SILVA; MARCELO BURGARDT RODRIGUES

Rev Bras Ortop. 1995;30(7):- - Artigo Original
Foram analisados os resultados a curto prazo (tempo médio de seguimento pós-operatório de dois anos e dois meses) de 106 artroplastias totais do quadril híbridas, em que foram empregados componentes femorais cimentados e componentes acetabulares não cimentados. Até o momento, nenhuma das próteses mostrou sinais radiográficos de soltura asséptica. Um quadril foi revisado devido a infecção. Os resultados funcionais, de acordo com a classificação de D'Aubigné & Postel, mostraram valor médio de 5,67 para dor, 5,33 para marcha e 5,37 para mobilidade. Os resultados clínicos e radiográficos a curto prazo de próteses totais de quadril híbridas mostraram-se superiores aos de próteses não cimentadas descritos na literatura. O uso de componente acetabular não cimentado é vantajoso para preservação do estoque ósseo da bacia e para facilitar reconstruções complexas. As implicações referentes ao desgaste do polietileno das próteses deste grupo de pacientes só serão definidas no futuro, com tempo de seguimento pós-operatório mais prolongado.

Artroplastia total do quadril com prótese não cimentada

HUMBERTO PAULO CARNEIRO DE ALBUQUERQUE; PAULO C. VIDAL

Rev Bras Ortop. 1997;32(10):- - Artigo Original
Os autores fizeram uma avaliação retrospectiva em 53 próteses não cimentadas, com seguimento de 10 a 10,5 anos, realizadas no período de abril a setembro de 1986. A idade esteve compreendida entre 18 e 64 anos, com média de 39 anos. A avaliação objetiva foi feita pelo método de Merle D`Aubigné e Postel e a subjetiva, pelo grau de satisfação de cada paciente, de acordo com um questionário modificado e adaptado a nossas condições socioeconômicas. Os bons resultados nas próteses de Galante após esse período representaram apenas 39,62%; os regulares, 26,41%; e os maus, 33,96%. Nas de Roy-Camille encontramos 71,3% de bons, 15,2% de regulares e 13,5% de maus. Em nenhuma delas encontramos resultados excelentes ou muito bons. Foram realizadas três revisões com substituição dos dois componentes (Galante) duas com substituição apenas do componente femoral (Galante) e cinco do acetabular (Roy-Camille, duas e Galante, três). Em um paciente, com prótese de Roy-Camille, foram retirados os dois componentes, por infecção profunda. Das substituições, cinco foram por desprendimento asséptico, três por infecção e duas por fratura do fêmur ou do componente. Em nossas observações, durante dez anos, comprovamos que as próteses não cimentadas, utilizadas em nosso serviço, apresentaram resultados bisonhos, que não justificaram seu emprego. Mesmo nos casos considerados bons e regulares, encontramos 59,7% de sinais radiológicos de comprometimento dos componentes, conseqüência da ação dos débris. Com os materiais atualmente disponíveis, comprovadamente nocivos à organização estrutural do organismo humano, caminhamos sem direção e sem futuro. Ao indicarmos uma prótese total do quadril atualmente, estamos assumindo não somente uma responsabilidade, mas, acima de tudo, uma responsabilidade jurídica, pelos danos que poderão ocorrer no futuro ao paciente.

Uso de reforço acetabular em artroplastia total de quadril

CARLOS ALBERTO DE SOUZA MACEDO, CARLOS ROBERTO GALIA, MÁRCIO RANGEL VALIN, RICARDO ROSITO, HEBERTON TIMM, LUÍS MARCELO MÜLLER

Rev Bras Ortop. 1998;33(4):- - Artigo Original

RESUMO

O presente trabalho é um estudo retrospectivo de 26 pacientes (27 quadris) com deficiências acetabulares, submetidos à artroplastia total de quadril com uso de reforço acetabular em forma de concha ajustável de Fabroni ou em placa cruzada do tipo Archimède, associada ou não a enxerto ósseo. O período do estudo foi de 12 anos (1983 a 1995) e o seguimento médio, de 5 anos e 6 meses. Foram utilizados os critérios propostos por Merle d`Aubigné & Postel para a avaliação clínica, que revelaram que em 70,4% dos pacientes os resultados foram médios, bons e muito bons. A avaliação radiológica baseou-se nos critérios de DeLee & Charnley. Quando comparada com os resultados clínicos, sugeriu que a presença de linhas radioluzentes contribuiu para a piora do estado clínico (p < 0,05). Baseados nos resultados obtidos nessa série, os autores concluem que as deficiências acetabulares podem ser adequadamente manejadas com o uso de reforços acetabulares de Fabroni ou do tipo Archimède.

Pesquisas Recentes

Aguarde, carregando...

Filtrar

Anos


Tipos de artigos