ISSN - Versão Impressa: 0102-3616 ISSN - Versão Online: 1982-4378

Resultados da Busca

Ordenar:

Mostrando de 1 até 20 de 394 resultado(s)

Busca por: Eficácia do antibiótico profilático intraósseo versus endovenoso em cirurgias do joelho em porcos: Estudo experimental*

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE INCIDÊNCIAS RADIOGRÁFICAS PARA A OSTEOARTROSE DO JOELHO (AP BIPODAL VERSUS AP MONOPODAL)

Rodrigo Pires E Albuquerque; Cristina Barbosa; Dafne Melquíades; Hilton Koch; João Maurício Barretto; Alexandre Albino; Waldeck Duarte Júnior

Rev Bras Ortop. 2013;48(4):330-335 - Artigo Original
Objetivo: Fazer uma análise comparativa com a aplicação dos critérios da classificação original de Ahlbäck na incidência ântero-posterior (AP) bipodal do joelho em extensão e na incidência ântero-posterior (AP) monopodal do joelho, em joelhos artrósicos sintomáticos. Com esta análise pretendemos observar a concordância, diferença ou as vantagens eventuais entre as incidências e o grau de comprometimento articular entre os médicos ortopedistas e radiologistas com o médico de referência. Métodos: De janeiro de 2012 a março de 2012, foi feito um estudo prospectivo, de 60 joelhos artrósicos sintomáticos (60 pacientes), selecionados clinicamente no ambulatório do grupo de joelho e submetidos às incidências radiográficas propostas na pesquisa. Dos 60 pacientes, 39 eram do sexo feminino e 21 do masculino, com média de 64 anos (variando de 50 a 84). Dos 60 joelhos avaliados, 37 correspondiam ao lado direito e 23 ao esquerdo. A análise foi feita pela estatística de Kappa, que avalia a concordância interobservadores de dados de natureza qualitativa. Resultados: Segundo a escala de Ahlbäck, houve uma concordância significativa (p < 0,0001) intraobservador na classificação da osteoartrose do joelho entre os cinco avaliadores. Houve uma concordância significativa (p < 0,0001) interobservador com médico de referência na incidência em AP monopodal e AP bipodal para os quatro avaliadores. Conclusão: O estudo não observou diferença entre a incidência em AP bipodal versus o AP momopodal na osteoartrose do joelho. Keywords - Estudo comparativo Osteoartrose do joelho Radiologia

Ensaio experimental para tratamento cirúrgico das fraturas transversas da falange proximal - Técnica com parafuso intramedular cônico de compressão versus placa de compressão lateral

Rev Bras Ortop. 2015;50(5):509-514 - Artigo Original
Objetivo: Comparar os parâmetros mecânicos entre dois métodos de estabilização por com-pressão: placa de compressão axial de 1,5 mm com o parafuso cônico de compressão usadocomo tutor intramedular.Métodos: Foram usados modelos de poliuretano (Sawbone®) que simulam a fratura dafalange proximal transversa, divididos em três grupos (placa lateral, parafuso cônico, semimplante).Resultados: Há necessidade de uma maior força para resultar na fadiga da síntese com para-fuso intramedular. Comprova-se, assim, a supremacia mecânica desse sobre o modelo coma placa lateral.Conclusão: A estabilização com o parafuso Acutrak®, no tratamento das fraturas no modeloadotado neste ensaio, apresenta resultados mecânicos superiores e estatisticamente sig-nificativos em comparação com a técnica de compressão axial com o uso da placa lateral(Aptus Hand ®).

PNEUMATOCISTO INTRA-ÓSSEO: RELATO DE CASO

EDUARDO AMARAL GOMES; JAMIL JOSÉ SALIBA; GUSTAVO AUGUSTO MATOS SALIBA

Rev Bras Ortop. 2005;40(10):621-624 - Relato de Caso
O presente estudo tem o objetivo de apresentar um caso de pneumatocisto intra-ósseo, doença rara porém benigna. O relato de caso foi baseado em achado radiográfico ocasional, em um paciente de 13 anos de idade com queixa de dores lombares. Os pneumatocistos são lesões ósseas raras contendo gás no seu interior, sendo mais freqüentes no ílio e sacro adjacentes às articulações sacroilíacas. Sua incidência maior é na idade entre 20 e 50 anos, diferente do relatado no presente caso. Na evolução natural do pneumatocisto intra-ósseo é esperada a troca do conteúdo gasoso por fluido ou tecido de granulação, cujo tempo é impreciso (semanas, meses ou anos), porém sem possibilidades de agravamento ou malignização da lesão, o que preconiza o tratamento não invasivo da doença. A conduta de tratamento foi a observação, com controles periódicos por meio de métodos de imagem, conforme a literatura preconiza. No acompanhamento tomográfico do presente caso após 18 meses, observa-se o preenchimento da lesão por material com densidade de partes moles e calcificação de permeio. O pneumatocisto intra-ósseo é lesão benigna, sendo as características da TC, em conjunto com a falta de sintomas específicos, dados importantes para o seu diagnóstico, evitando assim desnecessários procedimentos invasivos.Descritores - Doenças ósseas/diagnóstico; Ílio/radiografia; Cistos ósseos/ diagnóstico; Ossos pélvicos/radiografia; Tomografia computadorizada por raios X; Relatos de casos.

Tendão patelar "versus" tendões duplos do semitendinoso e "gracilis" como enxerto autólogo na reconstrução do LCA no joelho*

NISO BALSINI; CARLOS EDUARDO SARDINHA; NISO EDUARDO BALSINI

Rev Bras Ortop. 2000;35(5):- - Artigo Original
O trabalho apresenta uma avaliação comparativa entre os dois métodos, tendo por base 100 joelhos crônicos operados, sendo 50 de julho de 1991 a setembro de 1994, utilizando o tendão patelar (TP), e 50 de novembro de 1994 a fevereiro de 1997, utilizando o tendão duplo do semitendinoso e gracilis (ST/GR). Todas as cirurgias foram realizadas por videoartroscopia, via ambulatorial, sempre pelo mesmo cirurgião e indistintamente para pacientes ativos do sexo masculino ou feminino, independente da atividade ser o esporte recreacional ou profissional. A reabilitação foi orientada pelo mesmo protocolo, com exceção de não se apressar a recuperação da extensão final nos pacientes do ST/GR nas três primeiras semanas. A avaliação subjetiva, com retorno às atividades do dia-a-dia, apontou 88% para o TP e 90% para ST/GR. Quanto ao retorno ao esporte, 79% para o TP e 81% para o ST/GR. A presença de limitação da extensão final foi mais freqüente para a técnica do TP (16%), contra 2% do ST/GR. A crepitação patelofemoral foi anotada em 12% do TP contra 2% daquela do ST/GR. A determinação da frouxidão ligamentar foi realizada por manobras manuais (Lachman, gaveta anterior em RE e pivot shift) e foram observados joelhos mais frouxos, mas subjetivamente estáveis, quando da utilização da técnica do ST/GR, com melhora progressiva a partir do momento em que se adotou o pré-tensionamento do enxerto. Não se observou significativa perda da força do aparelho extensor naqueles joelhos adequadamente trabalhados na reabilitação, nem tampouco perda significativa da força dos flexores nas mesmas condições. O trabalho leva à conclusão de que os dois métodos são bons para a reconstrução do LCA, não havendo diferença significativa entre ambos no cômputo final.

EFICÁCIA A CURTO PRAZO DO LASER DE BAIXA INTENSIDADE EM PACIENTES COM OSTEOARTRITE DO JOELHO: ENSAIO CLÍNICO ALEATÓRIO, PLACEBO-CONTROLADO E DUPLO-CEGO

Vanessa Ovanessian Fukuda; Thiago Yukio Fukuda; Márcio Guimarães; Silvia Shiwa; Bianca Del Cor de Lima; Rodrigo Álvaro Brandão Lopes Martins; Raquel Aparecida Casarotto; Patrícia Pereira; Alfredo; Jan Magnus Bjordal; Patrícia Maria Moraes Barros Fucs

Rev Bras Ortop. 2011;46(5):526-533 - Artigo Original
Objetivo Este estudo foi designado para avaliar a eficácia a curto prazo da laserterapia de baixa intensidade (LBI) na melhora da dor e função em pacientes portadores de osteoartrite (OA) do joelho. Métodos: Participaram deste ensaio clínico aleatório, duplo-cego e controlado 47 pacientes (79 joelhos) de ambos os sexos portadores de OA do joelho, que foram distribuídos aleatoriamente em dois grupos; grupo laser com 25 pacientes (41 joelhos) e grupo placebo com 22 pacientes (38 joelhos). A LBI foi realizada três vezes por semana totalizando nove sessões, com uso do laser AsGa de 904nm, 60mW de potência média e 0,5cm 2 de área do feixe, sendo irradiados nove pontos no joelho com energia de 3,0J por ponto. O grupo placebo foi tratado com o mesmo aparelho de laser, porém com uma caneta selada. As avaliações lequesne, escala visual numérica (EVN), Timed Up and Go (TUG), goniometria e dinamometria foram realizadas antes do início do tratamento e após as nove sessões da LBI. Resultados: Foi encontrada melhora significante da dor e função para todas as avaliações aplicadas no grupo laser. Quando comparado o grupo laser ao grupo placebo encontrou-se diferença significante para as avaliações EVN-Repouso e Lequesne. Conclusão: O tratamento com a LBI melhora a dor e função a curto prazo de pacientes portadores de OA do joelho.Descritores - Terapia a Laser de Baixa Intensidade; Osteoartrite do Joelho; Terapia por Exercício.

CISTO EPIDERMÓIDE INTRA-ÓSSEO: RELATO DE CASO

EDUARDO AMARAL GOMES; JAMIL JOSÉ SALIBA; GUSTAVO AUGUSTO MATOS SALIBA; ROMANA GIORDANI RIBEIRO

Rev Bras Ortop. 2005;40(11/12):678-680 - Relato de Caso
Objetivo: Apresentar um caso de cisto epidermóide intraósseo, uma lesão rara e benigna. Material: Descreve-se um caso de cisto epidermóide intra-ósseo na falange distal do dedo anular, suspeitado por meio da clínica, da radiologia e confirmado pelo exame histopatológico, em paciente de 48 anos de idade com fratura patológica da falange distal do dedo anular esquerdo. O cisto epidermóide intra-ósseo é entidade clínica rara, geralmente associada a trauma prévio, que deve ser considerada no diagnóstico diferencial de lesões radiotransparentes encontradas em falange distal dos dedos da mão.Descritores - Cisto epidermico; Cistos; Dedos/patologia; Relatos de casos (Tipo de publicação).

Lipoma intraósseo do ilíaco: relato de caso

Frederico Barra de Moraes; Rodrigo Marques Paranahyba; Rogério Andrade do Amaral; Vinícius Mendes Bonfim; Nathalya Ducarmo Jord&#227;o; Raimundo Djalma Souza

Rev Bras Ortop. 2016;51(1):113-117 - Relato de Caso
    Os lipomas são tumores benignos que acometem células adiposas, mais comumente afetam os tecidos moles na idade adulta. Raramente podem afetar os ossos, preferencialmente metáfises dos ossos longos. São geralmente assintomáticos, na radiografia verifica-se lesão radiotransparente, com uma fina borda esclerótica ou lesão radiodensa com uma espessa borda esclerótica. A transformação maligna do tumor é rara, assim como a recorrência, sem necessidade cirúrgica na maioria dos casos. Neste relato apresentamos um caso raro de lipoma intraósseo do ilíaco.

COMPARAÇÃO ENTRE OS RESULTADOS OBTIDOS NA RECONSTRUÇÃO DO LIGAMENTO CRUZADO ANTERIOR DO JOELHO UTILIZANDO DOIS TIPOS DE ENXERTOS AUTÓLOGOS: TENDÃO PATELAR VERSUS SEMITENDÍNEO E GRÁCIL

Rene Jorge Abdalla; Diego Antico Monteiro; Leonardo Dias; Dárcio Maurício Correia; Moisés Cohen; Andrea Forgas

Rev Bras Ortop. 2009;44(3):204-207 - Artigo Original
Objetivo: O objetivo deste trabalho é comparar os resultados da artrometria e do exame isocinético entre dois tipos de enxertos autólogos: o terço central do ligamento patelar e o formado pelos tendões dos músculos semitendíneo e grácil, dentro de um mesmo protocolo de reabilitação no sexto mês pós-operatório. Materiais e Métodos: Foram analisados os resultados obtidos dos exames realizados em 63 pacientes divididos em dois grupos. Em um grupo de 30 pacientes, utilizou-se o tendão patelar como enxerto e em outro grupo de 33 pacientes, utilizou-se o tendão dos músculos semitendíneo e grácil. Ambos os enxertos foram fixados da mesma forma, com EndobuttonT para fixação suspensória no fêmur e um parafuso de interferência bioabsorvível para fixação no túnel tibial. Resultados: A artrometria 30 não apresentou diferença estatística entre os dois grupos observados. Já na avaliação isocinética, constatou-se que o grupo de tendão patelar possui em média maior pico de torque de flexão e maior déficit de extensão e o grupo de flexores possui, em média, melhor relação flexão/extensão e maior déficit de flexão percentual. Não há diferença estatística significante entre os grupos quanto à medida de pico de torque de extensão. Conclusão: portanto, no presente estudo, quando o tendão patelar é utilizado, há maior déficit extensor e quando são utilizados os tendões flexores, há maior déficit flexor. Descritores - Ligamento cruzado anterior; Joelho; Reconstrução; Artroscopia.

Cimento com vancomicina: farmacocinética do antibiótico na ovelha e no homem*

MILTON CHOHFI; FRANTZ LANGLAIS; FLÁVIO MORAL TURIBIO

Rev Bras Ortop. 1996;31(2):- - Artigo Original
Os autores estudaram, in vivo, a farmacocinética da vancomicina associada ao cimento acrílico, implantado em ovelhas e no homem. As análises do tecido ósseo do fêmur das ovelhas, após a implantação intramedular, revelaram a presença do antibiótico em três camadas da cortical, em concentrações bacteriologicamente eficazes durante pelo menos cinco meses. No homem, a implantação de 2 ou 3g de vancomicina por dose de cimento, quando de artroplastias primárias do quadril, mostrou apreciáveis concentrações do antibiótico nos líquidos de exsudação durante o período de drenagem, acompanhadas de baixos níveis séricos, que se anularam rapidamente. Os autores concluem que a adição de vancomicina ao cimento ortopédico representa importante recurso, tanto na profilaxia das infecções cirúrgicas das artroplastias primárias como nas revisões de artroplastias infectadas.

O cimento ortopédico associado à vancomicina: comportamento mecânico e difusão do antibiótico*

MILTON CHOHFI; FRANTZ LANGLAIS

Rev Bras Ortop. 1994;29(6):- - Artigo Original
Os autores relatam os resultados de suas pesquisas in vitro, a respeito da resistência à compressão do cimento acrílico associado à vancomicina e da capacidade de difusão do antibiótico num meio líquido (PBS). Os testes de resistência mecânica mostraram que a adição de 3,0g de vancomicina não comprometeu o comportamento mecânico do cimento, assim como a incorporação do óxido de zircônio como agente opacificante e sua esterilização por raios gama. Quando mergulhado num meio líquido, o cimento com vancomicina liberou uma quantidade bacteriologicamente eficaz do antibiótico, fazendo supor que seu emprego clínico pode vir a se constituir num recurso valioso no combate às infecções. Os autores propõem o prosseguimento destas pesquisas, desta vez in vivo, com a finalidade de conhecer a farmacociné tica deste antibiótico tanto em implantações ósseas num modelo animal, como no homem, quando das artroplastias.

Avaliação mecânica de diferentes métodos de osteossíntese de ossos longos pequenos Estudo "in vitro" em metacárpicos de porcos*

OSVALDO MENDES DE OLIVEIRA FILHO; NILTON MAZER; CLAUDIO HENRIQUE BARBIERI; CARLOS ALBERTO MORO

Rev Bras Ortop. 1995;30(1/2):- - Artigo Original
Foi estudada a estabilidade de seis diferentes métodos de fixação interna de fraturas de metacárpicos: fios de Kirschner intramedulares, en bouquet; fios de Kirschner cruzados; haste intramedular, tipo bilboquet; banda de tensão dorsal em oito, associada a um fio de Kirschner oblíquo; duas cerclagens longitudinais, em ângulo reto entre si, associadas a um fio de Kirschner oblíquo; e miniplaca de estabilização. Foram utilizados metacárpicos de porcos devido à semelhanças anatômicas com os de humanos, conforme demonstrado por estudos histológicos e radiológicos prévios. As montagens foram submetidas a esforços de flexão com três pontos de apoio em uma máquina universal de ensaio. Os resultados mostraram que os metacárpicos de porcos não são adequados para os modelos de fixação intramedular e que as miniplacas e as cerclagens longitudinais em ângulo reto entre si foram os modelos mais estáveis.

TEMPO DE RADIAÇÃO EMITIDA POR FLUOROSCOPIA EM CIRURGIAS ORTOPÉDICAS

João Caron La Salvia; Pablo Reis de Moraes; Tiago Yossef Ammar; Carlos Roberto Schwartsmann

Rev Bras Ortop. 2011;46(2):136-138 - Artigo Original
Objetivo: Averiguar o tempo médio de emissão de radiação por aparelho de fluoroscopia durante variadas cirurgias ortopédicas e quais necessitam maior uso de radiação. Métodos: Foram contabilizados os tempos em 16 cirurgias diferentes, totalizando 80 procedimentos. Ao final de cada procedimento foi verificado o tempo de utilização de fluoroscopia diretamente do intensificador de imagem. Resultados: Foram necessários em média 61 segundos de fluoroscopia por operação. Os procedimentos que demandaram mais uso de radiação em média foram epifisiodese femoral proximal bilateral (5,1 minutos) e osteossíntese diafisária de fêmur com haste intramedular bloqueada (3,33 minutos). Conclusão: O tempo médio de fluoroscopia em cirurgias ortopédicas foi de 61 segundos. Os procedimentos com uso de dispositivo intramedular são os que requerem maior emissão de radiação.Descritores - Dosagem de Radiação; Fluoroscopia; Ortopédica.

Cirurgias de salvamento do quadril em paralisia cerebral: Revisão Sistemática

Rafael Carboni de Souza; Marcelo Valentim Mansano; Miguel Bovo; Helder Henzo Yamada; Daniela Regina Rancan; Celso Svartma; Patrícia M. de Moraes Barros Fucs; Rodrigo Montezuma César de Assumpção

Rev Bras Ortop. 2015;50(3):254-259 - Artigo de Revisao
O desequilíbrio e a espasticidade muscular, associados à coxa valga e à anteversão femo-ral persistente, comprometem o desenvolvimento do quadril na paralisia cerebral e podemresultar em dor crônica e até luxação. Alguns desses quadris são submetidos a cirurgias desalvamento decorrentes do grave impacto das suas alterações na qualidade de vida. Fizemosuma revisão sistemática da literatura para comparar os resultados das principais técnicasaplicadas para salvamento do quadril nesses indivíduos. A busca na literatura teve comofoco estudos que avaliaram resultados de cirurgias de salvamento do quadril em paralisiacerebral, publicados de 1970 a 2011, presentes nas bases de dados Embase, Medline, Pub-med, Scielo e Cochrane Library. Apesar de os resultados obtidos não serem estatisticamentecomparáveis, essa revisão sistemática demonstra que as cirurgias de salvamento do qua-dril devem ser indicadas após avaliação individual de cada paciente, decorrente do amploespectro de apresentações da paralisia cerebral. Logo, aparentemente, não há uma técnicacirúrgica superior às outras, mas sim indicações diferentes.

"Ganglion" intra-ósseo Apresentação de um caso e proposta de esclarecimento de sua etiologia*

CAIO AUGUSTO DE SOUZA NERY; REYNALDO JESUS-GARCIA FILHO; ALFONSO APOSTOLICO NETTO; XAVIER M.G.R.G. STUMP

Rev Bras Ortop. 1996;31(7):- - Artigo Original
Os autores relatam nesta apresentação um caso de ganglion intra-ósseo, localizado na região metafisária medial do terço distal da tíbia direita e mostram aspectos clínicos e radiológicos característicos da lesão, salientando o uso da artrotomografia como meio importante não só para confirmar as características da lesão mas também para comprovar sua etiologia.

EFICÁCIA DO DESBRIDAMENTO ARTROSCÓPICO NAS LESÕES PARCIAIS DO MANGUITO ROTADOR

MARCO ANTÔNIO DE CASTRO VEADO; FABRÍCIO MELO BERTOLINI; ILDEU AFONSO DE ALMEIDA FILHO

Rev Bras Ortop. 2006;41(1/2):22-28 - Artigo Original
Objetivo: Estudar a eficácia da descompressão subacromial artroscópica (DSA) associada ao desbridamento das lesões parciais de baixo grau do manguito rotador. Métodos: Foram avaliados 42 pacientes (28 do sexo feminino e 14 do masculino), divididos em dois grupos - grupo 1 (controle): portadores de síndrome do impacto subacromial no estágio I e submetidos a DSA; grupo 2: portadores de lesão parcial de baixo grau do manguito rotador submetidos a DSA e desbridamento do manguito rotador. A média de idade foi de 50,8 anos no grupo 1 e de 58,3 anos no grupo 2. Resultados: Avaliados pelo método da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), foi observada mudança na pontuação de 13 pontos no pré-operatório para 31 pontos no pós-operatório no grupo 1 e de 10 pontos no pré-operatório para 29 pontos no pós-operatório no grupo 2. Como complicação houve dois casos de ombro congelado e um caso de infecção superficial. Sete pacientes apresentaram dor na articulação acromioclavicular no grupo 1 e seis no grupo 2. Conclusão: A descompressão subacromial associada ao desbridamento artroscópico constitui-se em método eficaz no tratamento das lesões parciais de baixo grau do manguito rotador.Descritores - Síndrome de colisão subacromial; Bainha rotador; Artroscopia; Descompressão subacromial.

Pesquisas Recentes

Aguarde, carregando...

Filtrar

Anos


Tipos de artigos