ISSN - Versão Impressa: 0102-3616 ISSN - Versão Online: 1982-4378

Resultados da Busca

Ordenar:

Mostrando de 1 até 20 de 519 resultado(s)

Busca por: Avaliação dos resultados clínicos e radiográficos da artroplastia total cimentada do quadril em 477 pacientes

Avaliação dos resultados clínicos e radiográficos da artroplastia total cimentada do quadril em 477 pacientes

Guydo Marques Horta Duarte; Luiz Ronaldo Alberti

Rev Bras Ortop. 2019;54(4):459-464 - Artigo Original

OBJETIVO Avaliar os resultados da artroplastia total do quadril (ATQ) cimentada, coma utilização da técnica e prótese da escola Exeter.
METÓDO Entre março de 2000 e dezembro de 2006, foram realizadas 504 ATQs em 477 pacientes, com diversos diagnósticos etiológicos, 260 à direita e 244 à esquerda, 27 bilaterais,. A idade média foi de 58,9 (17,7–86,8) anos, com mediana de 69,0 anos. O planejamento radiográfico foi feito utilizando-se gabaritos apropriados. O acesso cirúrgico foi o posterolateral com o paciente em decúbito lateral. Para a avaliação clínica, foi utilizado o escore do quadril de Harris (EQH). Na avaliação radiográfica, foi estudada a interface osso-cimento acetabular, nas três zonas de DeLee e Charnley e nas sete zonas de Gruen do lado femoral, a presença de migração distal do componente femoral, hipertrofia diafisária, e ossificação heterotópica.
RESULTADOS O seguimento médio de 441 cirurgias (87,5%) foi de 7,2 (1,0–16,6) anos, com mediana de 7,1 anos. A incidência de complicações foi: luxação, 3,2%; infecção ,2,2%; tromboembolismo, 2,1%; disfunção de nervos periféricos 1,1%; hipertrofia diafisária, 1,5%; soltura do componente acetabular, 1,8%; migração distal do componente femoral entre 2,0mm e 2,9 mm, 0,45%; 1 caso de soltura asséptica do componente femoral; e 1 caso de fratura da haste femoral. A pontuação média com o EQH foi de 92 pontos.
CONCLUSÃO A ATQ cimentada, com a metodologia utilizada, constituiu-se em uma opção eficaz para o tratamento deste grupo de pacientes, comresultados satisfatórios, com este tempo de seguimento.


Palavras-chave: artroplastia de quadril; prótese de quadril; cimentos para ossos; osteoartrite do quadril; articulação do quadril

ARTROPLASTIA TOTAL DO QUADRIL NÃO CIMENTADA EM PACIENTES COM ARTRITE REUMATÓIDE

BRUNO TAVARES RABELLO; FERNANDO PINA CABRAL; EMÍLIO FREITAS; JORGE PENEDO; MARCO BERNARDO CURY; EDUARDO REGADO RINALDI; LOURENÇO PEIXOTO

Rev Bras Ortop. 2008;43(8):336-342 - Artigo Original
Objetivo: Analisar os resultados clínico-funcional e radiográfico das artroplastias totais do quadril não cimentadas em pacientes com artrite reumatóide. Métodos: Estudo retrospectivo de 24 pacientes (28 quadris) portadores de artrite reumatóide submetidos à artroplastia total do quadril, utilizando-se a prótese femoral não cimentada Secur Fit Osteonics®, com seguimento mínimo de dois anos. Clinicamente, os pacientes foram avaliados utilizando os critérios de Merle D`Aubigné, e os critérios de Engh, na avaliação radiográfica. Resultados: O tempo médio de seguimento foi de 5,6 anos (dois anos a oito anos e 11 meses). Clinicamente, resultados bons e excelentes foram observados em 22 pacientes, com destaque para a melhora do parâmetro dor. Não foi evidenciado qualquer caso de afrouxamento. Complicações foram observadas em dois casos, um paciente apresentou trombose venosa profunda (TVP), comprovada com doppler, e um caso de fratura peroperatória distal ao calcar, tratada com cerclagem, sem repercussão na qualidade dos resultados clínico e radiográfico do paciente. Conclusão: Os resultados sugerem, após seguimento médio de 5,6 anos, que a artroplastia total do quadril não cimentada pode ser opção satisfatória nas coxartroses de pacientes portadores de artrite reumatóide.Descritores - Artrite reumatóide/ radiografia; Artrite reumatóide/ cirurgia; Artroplastia de quadril/métodos; Resultado de tratamento.

Artroplastia total do quadril com prótese não cimentada

HUMBERTO ALBUQUERQUE; PAULO CEZAR V. C. ALBUQUERQUE

Rev Bras Ortop. 1993;28(8):- - Artigo Original
Os autores fizeram uma análise retrospectiva em 314 artroplastias, com próteses totais não cimentadas, no período de abril de 1986 a abril de 1992. O tempo mínimo de seguimento foi de 12 meses e o máximo de 72 meses, com média de 52,3 meses. A idade variou entre 18 e 64 anos, com média de 48 anos. Todos os pacientes foram avaliados objetivamente pelo método de Merle D`Aubigné e Postel e subjetivamente por suas opiniões sobre os resultados da cirurgia. As complicações transoperatórias mais freqüentes foram as fraturas metafisárias do fêmur, do grande trocanter e as perfurações do córtex femoral. O diagnóstico pré-operatório mais freqüente foi a osteoartrose. Os bons resultados representaram, em média, 73,20%, os medíocres, 14,28% e os maus, 12,51%.

Artroplastia total do quadril com prótese não cimentada

HUMBERTO PAULO CARNEIRO DE ALBUQUERQUE; PAULO C. VIDAL

Rev Bras Ortop. 1997;32(10):- - Artigo Original
Os autores fizeram uma avaliação retrospectiva em 53 próteses não cimentadas, com seguimento de 10 a 10,5 anos, realizadas no período de abril a setembro de 1986. A idade esteve compreendida entre 18 e 64 anos, com média de 39 anos. A avaliação objetiva foi feita pelo método de Merle D`Aubigné e Postel e a subjetiva, pelo grau de satisfação de cada paciente, de acordo com um questionário modificado e adaptado a nossas condições socioeconômicas. Os bons resultados nas próteses de Galante após esse período representaram apenas 39,62%; os regulares, 26,41%; e os maus, 33,96%. Nas de Roy-Camille encontramos 71,3% de bons, 15,2% de regulares e 13,5% de maus. Em nenhuma delas encontramos resultados excelentes ou muito bons. Foram realizadas três revisões com substituição dos dois componentes (Galante) duas com substituição apenas do componente femoral (Galante) e cinco do acetabular (Roy-Camille, duas e Galante, três). Em um paciente, com prótese de Roy-Camille, foram retirados os dois componentes, por infecção profunda. Das substituições, cinco foram por desprendimento asséptico, três por infecção e duas por fratura do fêmur ou do componente. Em nossas observações, durante dez anos, comprovamos que as próteses não cimentadas, utilizadas em nosso serviço, apresentaram resultados bisonhos, que não justificaram seu emprego. Mesmo nos casos considerados bons e regulares, encontramos 59,7% de sinais radiológicos de comprometimento dos componentes, conseqüência da ação dos débris. Com os materiais atualmente disponíveis, comprovadamente nocivos à organização estrutural do organismo humano, caminhamos sem direção e sem futuro. Ao indicarmos uma prótese total do quadril atualmente, estamos assumindo não somente uma responsabilidade, mas, acima de tudo, uma responsabilidade jurídica, pelos danos que poderão ocorrer no futuro ao paciente.

Artroplastia total do quadril cimentada de Charnley: estudo retrospectivo de 115 casos

J. RICARDO NEGREIROS V.; FERNANDO G. MIRANDA; ANTÔNIO C. BERNABÉ; FÁBIO JANSON ANGELINI; HENRIQUE CABRITA; L. FERNANDO TEOCHI; SILVIO SEVCIUC

Rev Bras Ortop. 1998;33(10):- - Artigo Original
Realizou-se um estudo retrospectivo clínico e radiológico de 115 artroplastias totais do quadril cimentadas tipo Charnley, efetuadas entre 1976 e 1991, no Instituto de Ortopedia e Traumatologia do Hospital das Clínicas da FMUSP. Foram avaliados 88 pacientes, com 27 deles submetidos à artroplastia bilateral (30,6%). A idade dos pacientes variou de 23 a 83 anos, com média de 56,4 anos. O tempo de seguimento variou de 7,3 anos a 22,8 anos, com média de 11,8 anos. O diagnóstico mais freqüente foi o de osteoartrose (35,7%). Realizou-se a avaliação clínica pelos critérios de Merle D`Aubigné e a avaliação radiológica pelos critérios de Gruen para o componente femoral e de DeLee e Charnley para o componente acetabular. Ob-tiveram-se 98,8% de bons resultados contra 1,7% de resultados regulares. Observaram-se sinais de soltura acetabular em 41,7% e de soltura femoral em 33,0%. Os autores concluem que a prótese de Charnley é uma boa opção entre as próteses cimentadas.

Estudo do padrão cintilográfico em pacientes submetidos a artroplastia do quadril com prótese não cimentada*

ILDO LUÍS CARRILHO DE CASTRO, CLÁUDIO HENRIQUE BARBIERI, JOSÉ WAGNER DE BARROS

Rev Bras Ortop. 1997;32(9):- - Artigo Original

RESUMO

No período de janeiro de 1994 a agosto de 1995, 18 pacientes com artroplastia total não cimentada do quadril foram analisados através de exames cintilográficos com tecnécio (MDP - Tc99m) no pós-operatório de 3, 6 e 12 meses. A cada avaliação, foi calculado o índice de atividade através do quociente entre as captações médias do lado operado e do lado são. Os resultados foram consistentes em mostrar que os índices de atividades não foram perfeitamente homogêneos, ao longo do tempo para cada paciente, nem para o grupo todo em cada período, mas variavam muito pouco, ao redor de 1, o que mostra tendência à estabilização em torno desse valor, que demonstra muito pouca diferença entre o lado operado e o lado são. Concluiu-se, pois, ser esse o padrão para as cintilografias normais desses casos.

Artroplastia total do quadril em pacientes com poliartropatias inflamatórias

PAULO G. C. DE ALENCAR; MARCELO ABAGGE; REGIANE ERIKA KOYAMA; OSVALDO NOBORU ICHI

Rev Bras Ortop. 1993;28(6):- - Artigo Original
Foram avaliadas 56 artroplastias totais do quadril a que foram submetidos 38 pacientes portadores de artropatias inflamatórias (artrite reumatóide, artrite reumatóide juvenil, espondilite anquilosante e artrite psoriática). A idade média dos pacientes no momento da operação foi de 38,8 anos. O tempo de seguimento pós-operatório foi no mínimo de um ano e no máximo de sete anos e sete meses (média de três anos e dois meses). De acordo com o método de avaliação de D`Aubigné-Postel, modificado por Charnley, 46 quadris (82,1%) apresentaram resultado bom, seis (10,7%), regular e quatro (7,1%), mau. Houve seis complicações significativas, sendo que quatro delas necessitaram reoperação. A incidência de ossificação heterotópica graus III e IV de Brooker foi de 14,2% nas radiografias de controle, mas não houve relação com diminuição da mobilidade articular nesses pacientes. O principal efeito da operação foi o alívio da dor dos pacientes, seguido de aumento na amplitude dos movimentos articulares. O efeito na melhora da capacidade de marcha não foi tão significativo, mas esse fato foi atribuído ao caráter poliarticular da doença.

Artroplastia total do quadril com prótese cimentada de Charnley Avaliação clínico-radiológica com seguimento mínimo de dez anos no HTO

EMÍLIO FREITAS; FERNANDO PINA CABRAL; JORGE PENEDO; PEDRO IVO DE CARVALHO; OSCAR RUDGE; PAULO CESAR RONDINELLI; JUAN CARLOS A. CHAPARRO; RENATO DA SILVA MATTOS

Rev Bras Ortop. 1997;32(10):- - Artigo Original
Foi realizada reavaliação clínica e radiológica de 92 pacientes somando um total de 111 casos de artroplastia total do quadril com utilização da prótese cimentada de Charnley, entre 1975 e 1985, no Serviço de Quadril do Hospital de Tráumato-Ortopedia Dr. Mário Jorge, com seguimento mínimo de dez anos. Um total de 60% das próteses cimentadas estão estáveis, sem sinais clínicos ou radiológicos de soltura. Foram encontradas evidências de afrouxamento nos outros 40%, das quais 64% foram do componente acetabular, 23% do femoral e 23% em ambos os componentes. Esse percentual está de acordo com a estatística presente nos artigos de toda a literatura mundial, permanecendo a prótese cimentada de Charnley como uma grande alternativa para as artroplastias totais do quadril.

Apoio precoce em prótese total de quadril não cimentada*

MAURO MEYER

Rev Bras Ortop. 2003;38(4):- - Artigo Original
O apoio total imediato, já a partir do primeiro dia pós-operatório, foi permitido a 34 pacientes que se submeteram a artroplastia total de quadril não cimentada, entre março de 1998 e agosto de 1999. Análise radiográfica com três meses e com um ano de evolução demonstrou osteointegração em todos os pacientes e o estudo cintilográfico, captação normal aos 12 meses. Todos os pacientes encontravam-se assintomáticos na última revisão.

AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO HEPÁTICA EM PACIENTES SUBMETIDOS À ARTROPLASTIA TOTAL DO QUADRIL EM USO DE ENOXAPARINA

Felipe Vitiello Wink; Carlos Roberto Schwartsmann

Rev Bras Ortop. 2010;45(2):148-150 - Artigo Original
Objetivo: Avaliar as alterações hepáticas decorrentes do uso de enoxaparina para profilaxia da trombose venosa profunda em pacientes submetidos à artroplastia total do quadril. Métodos: Trinta e dois pacientes submetidos à artroplastia total do quadril, em caráter eletivo, utilizando enoxaparina, foram acompanhados por 65 dias com dosagens seriadas das enzimas hepáticas. Resultados: Foram encontradas alterações laboratoriais em até 75% dos pacientes durante o estudo, que normalizaram após a suspensão do tratamento. Não houve manifestação clínica de lesão hepática. Conclusão: As enzimas hepáticas elevam-se na maioria dos pacientes em uso de enoxaparina, sem correlação clínica, e normalizam após a suspensão do tratamento. Descritores - Enoxaparina; Artroplastia de quadril; Insuficiência hepática; Trombose venosa.

ANÁLISE DA QUALIDADE DE VIDA DE PACIENTES OSTEOARTRÓSICOS SUBMETIDOS A ARTROPLASTIA TOTAL DO QUADRIL

Elmano de Araújo Loures; Isabel Cristina Gonçalves Leite

Rev Bras Ortop. 2012;47(4):498-504 - Artigo Original
Objetivo: O objetivo do estudo foi a avaliação da qualidade de vida relacionada com a saúde em pacientes afetados por osteoartrose do quadril e tratados por artroplastia total do quadril. Métodos: Estudou-se, prospectivamente, uma coorte de 38 pacientes operados em hospital universitário de referência regional pelo mesmo cirurgião no ano de 2010 e acompanhados durante, no mínimo, seis meses até atingirem reabilitação satisfatória. Cada paciente respondeu ao formulário SF-36 e teve o Harris Hip Score estabelecido imediatamente antes da operação e aos seis meses de seguimento. Os resultados dos testes pré e pós-operatórios foram analisados e comparados com a literatura. Resultados: Os resultados pré e pós-operatórios do SF-36 foram: capacidade funcional - 13,4-53,7; limitação por aspectos físicos - 9,21-48,0; dor - 23,1-62,6; estado geral de saúde - 54,2-71,3; vitalidade - 40,3-69,9; aspectos sociais - 40,8-74,3; limitação por aspectos emocionais - 23,7-64,9; saúde mental - 52,6-80,4. O Harris Hip Score variou de 36,1 a 92,1, em média. Todos os resultados foram estatisticamente significantes (p < 0,001). Conclusões: A combinação de duas escalas mostrou-se valiosa na identificação de vieses e conferiu maior confiabilidade na compreensão das diversas variáveis. O estudo demonstra uma significativa melhora na qualidade de vida relacionada com a saúde em pacientes afetados por osteoartrose de diferentes etiologias e que foram submetidos à artroplastia total do quadril. A avaliação da qualidade de vida não substitui a avaliação clínica provida por instrumentos específicos e pela experiência do cirurgião, mas pode adicionar dados importantes ao valorizar o conjunto de expectativas do paciente perante um tratamento médico e ser considerada um instrumento eficiente na análise de resultados da artroplastia total do quadril. Descritores - Quadril; Osteoartrose; Artroplastia de Quadril; Qualidade de Vida.

Artroplastia total de quadril em pacientes com deficiência congênita do fêmur contralateral* Relato de dois casos

PAULO GILBERTO CIMBALISTA DE ALENCAR; OTÁVIO LAZZARIS ANACLETO

Rev Bras Ortop. 2002;37(7):- - Relato de Caso
Amputações de membro inferior sofridas em decorrência de malformações congênitas do fêmur são raras e, quando associadas com alterações morfológicas do quadril contralateral, representam um problema funcional de grandes proporções. Essa associação não é incomum e graus variados de displasia são detectados, trazendo problemas de natureza ortopédica que exigem solução. Caso essas alterações não tenham sido diagnosticadas e tratadas adequadamente em uma fase precoce, a ocorrência de artrose secundária à displasia resultará em dores e limitações funcionais, em geral na segunda ou terceira década. O aparecimento de degeneração articular é particularmente precoce pelo fato de ser um membro único de suporte da carga do peso corporal, mesmo com a utilização de prótese do membro inferior contralateral amputado. Apesar da faixa etária baixa, o problema funcional é significativo, por vezes impossibilitando a marcha e confinando o paciente à cadeira de rodas. Em estágios avançados de coxartrose pode requerer artroplastia total do quadril (ATQ) para sua resolução. O objetivo deste trabalho é descrever dois casos em que foi realizada ATQ em pacientes com coxartrose secundária a alterações displásicas em pacientes com amputação do membro inferior contralateral decorrentes de deficiências congênitas do fêmur proximal. Unitermos - Artroplastia; malformação congênita

AVALIAÇÃO FUNCIONAL, RADIOGRÁFICA E DA QUALIDADE DE VIDA APÓS ARTROPLASTIA TOTAL DE QUADRIL NÃO CIMENTADA COM SUPERFÍCIE CERÂMICA-CERÂMICA: SEGUIMENTO MÍNIMO DE CINCO ANOS DE EVOLUÇÃO

Rafael Borghi Mortati; Rafael Mota Marins dos Santos; Lucas Borghi Mortati; Rodrigo Angeli; Ramon Candeloro; Richard Armelin Borger; Roberto Dantas Queiroz

Rev Bras Ortop. 2013;48(6):505-511 - Artigo Original
Vol 48  nº6 - Novembro / Dezembro 2013  Objetivo: Analisar e correlacionar os resultados funcionais e radiográficos e o grau de qualidade de vida em pacientes submetidos a artroplastia total de quadril não cimentada com superfície em cerâmica feita no Hospital Servidor Público Estadual de 2001 a 2006. Métodos: Fizemosumestudo retrospectivo que analisou 35 quadris tratados com artroplastia total do quadril não cimentada com superfície em cerâmica, com tempo de seguimento mínimo de cinco anos. A avaliação funcional baseou-se no questionário de Harris Hip Score (HHS), a avaliação radiográfica baseou-se no método proposto por Charles Engh para o fêmur e sinais de integração óssea nas zonas de DeLee e Charnley para o acetábulo e a avaliação da qualidade vida baseou-se no questionário SF-36 (Medical Outcomes 36 Item Short-Form Health Survey). Resultados: O questionário HHS apresentou resultados considerados como excelentes e bons em 91% dos pacientes no pós-operatório (média de 93,14 pontos HHS). Quanto à avaliação radiográfica, em 100% dos quadris operados tivemos osteointegração óssea comprovada. Os escores do SF-36 não foram estatisticamente significantes em relação ao grupo controle para os seguintes componentes: dor, vitalidade, aspectos sociais e saúde mental. A variação entre o HHS pré e pós-operatório se correlaciona com a capacidade funcional no SF-36. Conclusão: A artroplastia total com superfície de cerâmica é uma operação que possibilita a melhoria funcional do quadril e o aumento da qualidade de vida do paciente para níveis próximos aos da população sem doenças da articulação. Keywords - Artroplastia Quadril Cerâmica Óxido de alumínio

Artroplastia total em quadril anquilosado *

ANTÔNIO ANDRADE DE FREITAS; JOSÉ WAGNER DE BARROS; CÉLIO DONIZETE FERREIRA

Rev Bras Ortop. 1994;29(4):- - Artigo Original
No período de fevereiro de 1990 a setembro de 1992, 11 pacientes com quadris anquilosados foram submetidos a 14 artroplastias totais. Todos foram reavaliados clínica e radiologicamente, com seguimento médio de 28 meses. As análises realizadas subjetiva e objetivamente, segundo o método de Merle D`Aubigné & Postel, mostraram em sua maioria bons resultados.

Análise da evolução do enxerto autólogo da cabeça femoral em pacientes com protrusão acetabular submetidos à artroplastia total do quadril*

WESLEY MAX RAMOS; LUIZ AURÉLIO MESTRINER; EDMILSON TAKEHIRO TAKATA; CARLOS FRANCISCO DE MOLLA; JOSÉ LAREDO FILHO

Rev Bras Ortop. 1999;34(1):- - Artigo Original
Os autores apresentam os resultados obtidos nas artroplastias totais do quadril em pacientes portadores de protrusão acetabular, utilizando a cabeça femoral como enxerto autógeno, não delaminado, e, em forma semi-esfé-rica, com o objetivo de reforçar a parede acetabular medial. Foram operados 16 pacientes (19 quadris) com diagnóstico de osteoartrose (sete), artrite reumatóide (seis), lúpus eritematoso sistêmico (um), artrite psoriática (um) e seqüela de pioartrite (um); oito (42,10%) quadris apresentavam protrusões de grau III, nove (47,37%) de grau II e dois (10,53%) de grau I. Os resultados foram considerados satisfatórios em todos os pacientes, de acordo com o método de avaliação de Merle d`Aubigné (1970).

Artroplastia total de quadril não-cimentada: avaliação das causas de revisão em pacientes com seguimento pós-operatório mínimo de 10 anos*

LEONARDO CARBONERA BOSCHIN; OTAVIO LAZZARIS ANACLETO; PAULO GILBERTO CIMBALISTA ALENCAR

Rev Bras Ortop. 2003;38(10):- - Artigo Original
Após um período médio de seguimento de 11 anos e quatro meses, foram avaliadas as causa de revisão em um grupo de 39 pacientes (44 quadris) submetidos à artroplastia total de quadril não-cimentada com prótese modelo AML (Anatomic Medullary Locking, De Puy®, Warsaw, EUA). A taxa de revisão, que envolveu a troca ou não dos componentes, foi de 6,81%. O componente femoral foi trocado em um paciente (2,27%) e o componente acetabular, em outros dois pacientes (4,54%). Neste estudo, afrouxamento asséptico como causa de revisão da artroplastia foi tão comum quanto osteólise e luxação.

AVALIAÇÃO DA VELOCIDADE DE HEMOSSEDIMENTAÇÃO E DA PROTEÍNA C-REATIVA EM PACIENTES SUBMETIDOS À ARTROPLASTIA TOTAL DO QUADRIL

CRISTIANO NAZARETH LARA; EULER CARVALHO GUEDES; CARLOS CÉSAR VASSALO; LÚCIO HONÓRIO DE CARVALHO JÚNIOR

Rev Bras Ortop. 2005;40(4):- - Artigo Original
Foi realizado estudo prospectivo em pacientes submetidos à artroplastia total do quadril primária, isentos de complicações, avaliando os resultados da proteína C-reativa (PCR) e da velocidade de hemossedimentação (VHS). As avaliações ocorreram no pré-operatório, 24 horas, 72 horas, uma semana, 30, 60 e 90 dias pós-cirurgia. Objeti-vou-se a avaliação da variação normal dos valores desses exames em uma situação pós-artroplastia do quadril. Como metodologia estatística foram utilizados o teste nãoparamétrico de Kruskal-Wallis e o aplicativo Epitable do Epi Info. Concluindo, observou-se normalização dos valores da PCR nos primeiros 30 dias pós-operatórios. A VHS também assumiu valores considerados normais entre 30 e 60 dias depois da cirurgia. Descrições - Artroplastia total de quadril; estudo prospectivo; proteína C-reativa; hemossedimentação.

ESTUDO COMPARATIVO ENTRE RIVAROXABAN E ENOXAPARINA NA PROFILAXIA DE TROMBOEMBOLISMO VENOSO PROFUNDO EM PACIENTES SUBMETIDOS À ARTROPLASTIA TOTAL DO QUADRIL

PEDRO SILVA KANAN; CARLOS ROBERTO SCHWARTSMANN; LEONARDO CARBONERA BOSCHIN; SAMUEL CONRAD; MARCELO FARIA SILVA

Rev Bras Ortop. 2008;43(8):319-328 - Artigo Original
Objetivo: Comparar a eficácia e segurança de rivaroxaban com a enoxaparina na profilaxia de trombose venosa profunda (TVP) após artroplastia total de quadril. Métodos: No período de setembro de 2006 a abril de 2007, no Serviço de Ortopedia e Traumatologia do Complexo Hospitalar da Santa Casa de Porto Alegre/RS, foi realizado um ensaio clínico randomizado, duplo-cego, em que foram selecionados 67 pacientes, todos submetidos à artroplastia total de quadril (ATQ). Desses, foram excluídos dois pacientes por falta de adesão à profilaxia proposta após a alta hospitalar. Para um dos grupos foi administrada enoxaparina 40mg, subcutânea seis a oito horas antes da cirurgia e, depois desta, foi adicionado um comprimido de placebo, via oral, durante os primeiros 32 a 36 dias, uma vez ao dia. O outro grupo recebeu rivaroxaban 10mg, via oral, uma vez ao dia, durante os primeiros 32 a 36 dias pós-operatórios. Para fazer o cegamento dos grupos foi administrada uma injeção de placebo subcutâneo seis a oito horas antes da cirurgia e nos 32 a 36 dias subseqüentes. O desfecho principal estudado foi a eficácia na prevenção de TVP, que foi avaliada através de venografia bilateral realizada entre os dias 32 e 36 de pós-operatório e/ou através de sintomas documentados de trombose venosa profunda ou tromboembolismo pulmonar (TEP). O desfecho secundário estudado foi segurança na posologia, avaliada através de sangramento importante e/ou hepatotoxicidade. Resultados: Rivaroxaban e enoxaparina tiveram resultados semelhantes (as diferenças não foram estatisticamente significativas), quando comparados quanto à redução da incidência de TVP até o 36o dia pós-operatório. Não houve diferença quanto à perda sanguínea e a hepatotoxicidade, quando comparadas as drogas. Conclusão: Em pacientes submetidos à artroplastia total de quadril, o rivaroxaban mostrou-se igualmente eficaz e seguro quanto a enoxaparina na prevenção de trombose venosa profunda e tromboembolismo pulmonar.Descritores - Trombose venosa/ prevenção & controle; Embolia pulmonar /prevenção & controle; Artroplastia de quadril; Enoxaparina; Heparina; Estudo comparativo.

Profilaxia com descolonização nasal em pacientes submetidos a artroplastia total de joelho e quadril: revisão sistemática com metanálise

Rev Bras Ortop. 2017;52(6):631-637 - Artigo de Revisão
    Apesar da evolução dos resultados após a artroplastia total de joelho (ATJ) e quadril (ATQ), ainfecção ainda é uma das causas mais desafiadoras para o cirurgião. Em virtude da gravidadee dificuldade do tratamento da infecção articular periprotética, foram criados protocolos deprofilaxia para esse tipo de complicação. O objetivo deste estudo foi avaliar a profilaxia infec-ciosa com a descolonização nasal prévia contra Staphylococcus aureus resistente à meticilina(MRSA), identificados por meio da coleta de material da nasofaringe por swabs em pacientescom programação cirúrgica de ATJ e ATQ. Foi elaborado um estudo de revisão sistemáticacom metanálise que usou o protocolo PRISMA-2015, no qual foram utilizados os descrito-res: arthroplasty e nasal decolonization ou joint arthroplasty e decolonization ou joint arthroplastye nasal decolonization na língua inglesa. Foram selecionados quatro estudos observacionaisdentre as 79 referências identificadas. A amostra total foi de 10.179 pacientes, divididos emdois grupos: controle (4.788 pacientes) e intervenção (5.391 pacientes). Foi observado que, nogrupo de intervenção, no qual a profilaxia com descolonização nasal foi aplicada, 59 (1,09%)dos pacientes desenvolveram infecção do sitio cirúrgico (ISC), enquanto a ISC foi observadaem 86 (1,79%) dos pacientes no grupo controle. Essa tendência se repetiu em todos os artigosestudados, não sendo observador viés de publicação, constituindo em uma amostra homo-gênea. A profilaxia pré-operatória com descolonização nasal para MRSA, reduz em 39% oscasos de infecção pós-artroplastias do joelho, devendo ser considerada como um protocolocomplementar pelos cirurgiões.

Artroplastia total de joelho em pacientes obesos

MAURO MEYER; BERNARD F&#193;BIO MEYER; ERNO THOBER

Rev Bras Ortop. 2000;35(3):- - Artigo Original
Utilizando o índice de massa corporal (IMC), os autores classificaram 18 pacientes como obesos entre 112 que se submeteram à artroplastia total do joelho durante o ano de 1998. Analisaram o IMC atual comparado com o da véspera do procedimento e o grau de atividade física. Constataram que os pacientes obesos conseguem reduzir o IMC após a artroplastia e aumentar as suas atividades físicas a níveis anteriores ao do início da patologia. Unitermos - Índice de massa corporal (IMC); obesidade; artroplastia total de joelho

Filtrar

Anos


Tipos de artigos