ISSN - Versão Impressa: 0102-3616 ISSN - Versão Online: 1982-4378

Resultados da Busca

Ordenar:

Mostrando de 1 até 20 de 409 resultado(s)

Busca por: O uso de placas bloqueadas pediátricas no quadril paralítico: resultados preliminares de 61 casos

O uso de placas bloqueadas pediátricas no quadril paralítico: resultados preliminares de 61 casos

Frederico Coutinho de Moura Vallim; Henrique Abreu da Cruz; Ricardo Carneiro Rodrigues; Caroline Sandra Gomes de Abreu; Eduardo Duarte Pinto Godoy; Marcio Garcia Cunha

Rev Bras Ortop. 2018;53(6):674-680 - Artigo Original

OBJETIVO: Avaliar os resultados clínicos e radiológicos da osteotomia varizante, de rotação eencurtamento da extremidade proximal do fêmur (OVRF) com uso de placa bloqueada empacientes com paralisia cerebral classificados pela escala Gross Motor Functional Classification System como IV e V.
MÉTODOS: Estudo retrospectivo de 42 pacientes (61 quadris) com paralisia cerebral, GrossMotor Functional Classification System IV e V, submetidos a OVRF. O seguimento mínimo pós-operatório foi de 24 meses. Foram avaliadas as características clínicas (idade na data dacirurgia, sexo, Gross Motor Functional Classification System, classificação geográfica da paralisia cerebral, padrão de acometimento motor), radiológicas pré e pós-operatórias (ângulo cérvico-diafisário, índice acetabular, índice de Reimers e tempo até a consolidação radiológica) e complicações pós-operatórias.
RESULTADOS: O ângulo cérvico-diafisário, índice acetabular e o índice de Reimers médios pré-operatórios foram respectivamente de 121,6º, 22,7º e 65,4% nos casos não complicados, vs.154,7º, 20,4º e 81,1% nos que evoluíram com complicações pós-operatórias. Todos os parâmetros apresentaram diferença significativa entre os valores pré e pós-operatórios (p < 0,05).O ângulo cérvico-diafisário e o índice de Reimers foram maiores no grupo com complicações(p < 0,0001). Não houve diferenças nas características clínicas, no tempo de imobilizaçãoou consolidação, exceto em relação ao grau Gross Motor Functional Classification System V (p< 0,0001). Foram observadas complicações pós-operatórias em 14 pacientes (33,3%). Desses,somente seis necessitaram reintervenção cirúrgica.
CONCLUSÃO: A placa bloqueada é um recurso seguro, com baixa taxa de complicac¸ões cirúrgicas e de técnica reprodutível para a OVRF na paralisia cerebral Gross Motor Functional Classification System IV e V. Maiores ângulos cérvico-diafisário, índices de Reimers e graus de Gross Motor Functional Classification System V estão ligados a maiores chances de complicac¸ões pós-operatórias.


Palavras-chave: Paralisia cerebral; Luxação do quadril; Osteotomia; Fêmur; Procedimentos cirúrgicos reconstrutivos

Avaliação clínica e radiológica dos pacientes submetidos a osteossíntese de rádio distal com placas bloqueadas – estudo retrospectivo*

Jurandyr de Abreu Câmara; Saulo Fontes Almeida

Rev Bras Ortop. 2019;54(3):303-308 - Artigo Original

OBJETIVO O objetivo do presente trabalho foi realizar um estudo retrospectivo, com base no arquivo médico dos prontuários e das radiografias dos pacientes, avaliando seus dados socioeconômicos, assim como clinicamente e radiograficamente, os pacientes submetidos a osteossíntese de rádio distal com placas bloqueadas.
MÉTODOS Avaliou-se clinicamente e radiologicamente o pós-operatório, no Serviço da clínica de Ortopedia e Traumatologia do nosso hospital, entre os anos de 2016 e 2017.
RESULTADOS Na avaliação radiográfica, foram encontrados 22 (75,86%) resultados excelentes, 6 (20,69%) bons e 1 (3,45%) regular. Na avaliação clínica, o desvio ulnar obteve média de 28,40, desvio padrão (DP) de 3,0 e coeficiente de variação de 10,56%. O desvio radial obteve média de 22,93, DP de 2,2 e coeficiente de variação de 9,59%. A amplitude de movimento em flexão obteve média de 59,43, DP de 9,86 e coeficiente de variação de 16,59%. Já a extensão obteve média de 53,83, DP de 5,09 e coeficiente de variação de 9,46%.
CONCLUSÃO Concluímos que há correlação estatística entre os dados clínicos e radiográficos, e que a placa bloqueada é um método de tratamento com alto índice de sucesso no procedimento cirúrgico das fraturas de rádio distal.


Palavras-chave: fraturas ósseas; fraturas do rádio; fixação interna de fraturas; estudos retrospectivos.

Artroplastia do quadril com a prótese total de Charnley. Bases biomecânicas. Técnica casuística pessoal. Impressões preliminares*

DANILO GONÇALVES

Rev Bras Ortop. 2003;38(7):- - Artigo Original
As desordens funcionais do quadril, por sua elevada incidência e difícil tratamento, sempre constituíram desafio e motivação à argúcia dos ortopedistas. As operações de: Girdlestone, Hackenbroch, Putti, Royal Whitman, e mesmo os implantes unitários de Smith Petersen, de Robert e Jean Judet e de Thompson, em que pese a contribuição que trouxeram à cirurgia reconstrutiva do quadril, falharam em considerável proporção, pela incapacidade de restaurar o acetábulo, igualmente atingido pelas lesões degenerativas, simultâneas, ou complicando a substituição protética da cabeça femoral. A apreciação realista desse fato, ou seja, de que as doenças degenerativas do quadril atacam tanto a cabeça femoral quanto o cótilo, impondo-se, portanto, uma solução radical para o problema, conduziu Charnley (1966), assistido por especialistas em metalurgia da Universidade de Leeds, a revolucionar o seu tratamento, através da notável concepção biomecânica da prótese total "de baixa fricção", com um componente femoral de aço inoxidável e outro acetabular de plástico, de superfícies com polimento perfeito, articulando-se em estreita coaptação cujas experiências se iniciaram em 1958. McKee e Farrar (1966), encarando o problema sob o mesmo ângulo sem, entretanto, cogitar da redução do torque friccional, criaram uma prótese em que ambas as partes são de cromo-cobalto. As próteses metal-plástico (MP) e metal-metal (MM) representam os tipos básicos de próteses totais. Em Stanmore, os cirurgiões e pesquisadores do Royal National Orthopaedic Hospital desenvolveram próteses de ambos os tipos.

A queilectomia como operação de salvamento na patologia do quadril: resultados preliminares*

ROBERTO GUARNIERO; CARLOS AUGUSTO MALHEIROS LUZO; WLASTEMIR GRIGOLETTO JÚNIOR; LUIZ ANTONIO DE AZEVEDO LAGE; MILTON IACOVONE

Rev Bras Ortop. 1995;30(1/2):- - Artigo Original
Os autores apresentam a indicação e os resultados da operação de queilectomia utilizada como cirurgia de salvamento em 17 pacientes com afecções do quadril. O diagnóstico neste grupo de doentes foi: doença de Perthes, 12; seqüela de pioartrite do quadril, 4; e seqüela de epifisiolistese, 1. A faixa etária por ocasião da operação variou de sete anos e quatro meses a 21 anos, com média de 13 anos e nove meses. Quinze pacientes eram do sexo masculino e dois, do feminino. Os resultados foram avaliados em relação à dor, à limitação funcional da articulação e à perda, ou bloqueio, dos movimentos da articulação coxofemoral. O acompanhamento dos pacientes variou de dois meses a quatro anos e seis meses, com média de um ano e oito meses. No trabalho, é apresentada também a técnica operatória. Os autores relatam as complicações observadas neste grupo de pacientes e concluem que os melhores resultados com o uso desta técnica são obtidos nas crianças com mais de 12 anos de idade e que a operação pode melhorar o grau de movimento do quadril, retardando o aparecimento de processo degenerativo articular. É uma opção de tratamento como operação de salvação para a doença de Perthes com má evolução.

Osteotomia periacetabular do quadril para tratamento da displasia residual: resultados preliminares

Vinicius de Brito Rodrigues,; Josiano Valério; Francisco Zaniolo; Mark Deeke; Marco Pedroni; Ademir Schuroff

Rev Bras Ortop. 2018;53(3):332-336 - Artigo Original

OBJETIVO Avaliar se a mudança do ângulo CE de Wiberg e do índice acetabular após a osteotomia periacetabular de Ganz é estatisticamente significativa.
MÉTODOS Foram avaliados os ângulos CE de Wiberg e índice acetabular pré- e pós-operatórios de 14 quadris operados em um hospital terciário de Curitiba, Paraná.
RESULTADOS As medidas do pós-operatório apresentaram diferenças significativas em relação ao pré-operatório. Observou-se um aumento significativo no ângulo CE de Wiberg no pós-operatório e uma redução significativa no índice acetabular. Essas diferenças foram estatisticamente significativas tanto para o lado direito como para o lado esquerdo.
CONCLUSÃO A avaliação radiográfica dos pacientes submetidos à osteotomia periacetabular de Ganz apresentou alguns resultados estatisticamente significativos, porém ainda há necessidade de uma amostra maior.


Palavras-chave: Osteotomia; Acetábulo; Luxação do quadril; Fenômenos biomecânicos.

ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO DAS FRATURAS FEMORAIS DIAFISÁRIAS PEDIÁTRICAS

Cassiano Ricardo Hoffmann¹; Eduardo Franceschini Traldi¹; Alexandre Posser²

Rev Bras Ortop. 2012;47(2):186-190 - Artigo Original
Objetivo: Avaliar as características pessoais, das fraturas e do tratamento e suas complicações em pacientes com fraturas femorais diafisárias pediátricas atendidos no Serviço de Ortopedia Pediátrica do Hospital Infantil Joana de Gusmão. Métodos: Trata-se de estudo retrospectivo e transversal com população composta por pacientes com fraturas diafisárias de fêmur, com idade entre o nascimento e 14 anos e 11 meses, divididos em quatro grupos etários. As informações foram obtidas nos prontuários e transferidas para o questionário de pesquisa que apresentava variáveis pessoais, das fraturas e do tratamento e suas complicações. Resultados: A população do estudo foi composta por 96 pacientes. A média de idade encontrada foi de 6,8 anos. Houve predomínio no sexo masculino, fratura fechada, lado direito, 1/3 médio e traço simples. Quanto à etiologia das fraturas, houve predomínio na amostra global de acidentes de trânsito. A maioria dos pacientes (74-77,1%) apresentou fratura de fêmur como lesão isolada. Houve predomínio do tratamento conservador na faixa etária menor que seis anos e do tratamento cirúrgico na faixa etária de seis anos a 14 anos e 11 meses. As complicações observadas até a união óssea foram: discrepância, infecção e limitação de movimento. O tempo médio de consolidação foi de 9,6 ± 2,4 semanas, variando com a idade. Conclusão: As características das fraturas estudadas foram semelhantes às citadas na literatura e o tratamento empregado apresentou bom resultado. O Hospital Infantil Joana de Gusmão (HIJG) tem utilizado o tratamento proposto pela literatura nas fraturas femorais diafisárias pediátricas. Descritores - Fraturas do Fêmur; Criança; Estudos Retrospectivos.

EFICÁCIA DO USO DO TEMPLATING NA ARTROPLASTIA TOTAL DO QUADRIL

Fabio Stuchi Devito; Alceu Gomes Chueire; Cristiane Bonvicine

Rev Bras Ortop. 2013;48(2):178-185 - Artigo Original
Objetivo: Avaliar a eficácia do planejamento pré-operatório tradicional com o uso de templatings. Método: Quarenta e três radiografias antero-posteriores foram analisadas por três cirurgiões experientes (A, B, C) e comparadas. Os testes de concordância de Cohen Kappa e Kappa ponderado, com ponderação quadrática, foram usados para análise estatística, com um intervalo de confiança de 95%. Resultados: A avaliação pré-operatória dos cirurgiões A, B e C compreendeu a análise do tamanho da taça acetabular, haste e plug do canal distal do fêmur. O cirurgião A obteve uma concordância moderada em relação ao componente acetabular e substancial em relação à haste e ao plug; o cirurgião B obteve concordância moderada tanto em relação ao acetábulo quanto à haste e substancial em relação ao plug e o cirurgião C obteve concordância moderada em relação à análise do acetábulo e ao plug e substancial em relação à haste. O teste de concordância intraobservador demonstrou ligeira concordância em relação ao acetábulo e substancial em relação à haste e ao plug. Conclusão: O uso do templating no planejamento pré-operatório revelou-se eficaz; entretanto, houve prevalência de concordância de leve a moderada em relação ao tamanho do componente acetabular.. Descritores - Pelve Quadril/radiografia Artroplastia

Artroplastia total do quadril com uso de próteses híbridas

PAULO G. C. DEALENCAR; WALMIR FRANCISCO SAMPAIO; JOÃO LUIZ VIEIRA DA SILVA; MARCELO BURGARDT RODRIGUES

Rev Bras Ortop. 1995;30(7):- - Artigo Original
Foram analisados os resultados a curto prazo (tempo médio de seguimento pós-operatório de dois anos e dois meses) de 106 artroplastias totais do quadril híbridas, em que foram empregados componentes femorais cimentados e componentes acetabulares não cimentados. Até o momento, nenhuma das próteses mostrou sinais radiográficos de soltura asséptica. Um quadril foi revisado devido a infecção. Os resultados funcionais, de acordo com a classificação de D'Aubigné & Postel, mostraram valor médio de 5,67 para dor, 5,33 para marcha e 5,37 para mobilidade. Os resultados clínicos e radiográficos a curto prazo de próteses totais de quadril híbridas mostraram-se superiores aos de próteses não cimentadas descritos na literatura. O uso de componente acetabular não cimentado é vantajoso para preservação do estoque ósseo da bacia e para facilitar reconstruções complexas. As implicações referentes ao desgaste do polietileno das próteses deste grupo de pacientes só serão definidas no futuro, com tempo de seguimento pós-operatório mais prolongado.

Sinovite transitória do quadril: estudo de 81 casos*

CARLO MILANI; JOSÉ LAREDO FILHO; JOÃO EDUARDO B. ASCÊNCIO; GLBERTO MOZART GALINDO; MARCELO PICCHI MESQUITA DE OLIVEIRA; EIFFEL TSUYOSHI DOBASHI

Rev Bras Ortop. 1995;30(1/2):- - Artigo Original
Os autores mostram os resultados do estudo de 81 crianças com dor articular no quadril. Destas, 17 apresentaram derrame articular. O trabalho foi realizado no período de janeiro de 1992 a junho de 1994. Foi realizado o acompanhamento radiográfico desses 17 pacientes, visando detectar possíveis alterações do quadril, o que não foi observado em nenhum caso, exceto em uma criança que evoluiu para a doença de Legg-Calvé-Perthes. Os autores discutem também aspectos diagnósticos e terapêuticos da doença, enfatizando a importância do estudo ultrasonográfico e cintilográfico para análise dos pacientes e da artrocentese no seu tratamento e prognóstico.

Complicações urológicas pós-artroplastia total do quadril - Relato de três casos

CARLOS ROBERTO SCHWARTSMANN; RICARDO KAEMPF DE OLIVEIRA; RICARDO CANQUERINI DA SILVA

Rev Bras Ortop. 2000;35(9):- - Relato de Caso
Complicações urológicas não são comumente encontradas nas cirurgias ortopédicas, principalmente nas artroplastias totais do quadril (ATQ). Quando elas ocorrem, as mais comuns são as infecções e as retenções urinárias. Entretanto, por serem de pouca gravidade e terem a sua terapêutica bem estabelecida, não nos causam maiores preocupações( 1-4). Complicações de maior porte, como lesão dos órgãos pélvicos, são extremamente raras, mas quando ocorrem causam significativos aumentos dos índices de morbidade e mortalidade(2,5-7). Neste relato são apresentados três casos de graves complicações urológicas após artroplastias totais de quadril, realizadas no Complexo Hospitalar Santa Casa de Porto Alegre. Inexiste publicação similar na literatura nacional.

Estudo comparativo entre o uso e o não uso de drenagem de sucção em prótese total de quadril

FABIO FERRAZ DO AMARAL RAVAGLIA; J. GRAHAN SMIBERT; FRCS

Rev Bras Ortop. 1994;29(11/12):- - Artigo Original
Foram estudados prospectivamente 72 pacientes submetidos a prótese total de quadril, operados pelo mesmo cirurgião no período de um ano. A drenagem de sucção foi empregada em 29 pacientes e em 43 não se utilizou nenhuma forma de drenagem. A comparação entre os dois grupos não demonstrou nenhuma diferença em relação a complicações na fenda operatória, picos febris pós-ope-ratórios e em outras complicações precoces. Neste estudo, demonstrou-se não ser vantajoso o uso de drenagem para próteses totais de quadris não complicadas e talvez seu uso rotineiro não seja indicado. Acreditamos que conforto, rápida mobilização do paciente, menores custo e risco de contaminação pela drenagem superam os benefícios de uma drenagem parcial do hematoma operatório.

RESULTADOS PRELIMINARES DA PRÓTESE TOTAL METATARSOFALÂNGICA METIS-NEWDEAL

Luís Fernando Nunes Pires Silva; Cristina Varino Sousa; Ricardo Rodrigues Pinto; Claudia Santos; José Muras Geada

Rev Bras Ortop. 2011;46(2):200-204 - Artigo Original
 Objetivo: Avaliar os resultados preliminares da prótese METIS- Newdeal® como tratamento de hallux rigidus grau III/ IV. Métodos: Estudo prospectivo de oito próteses MTF colocadas em seis pacientes entre nov/2007 e jul/2009. A idade média foi de 55 anos e o tempo de seguimento após a cirurgia de 50 semanas. Na avaliação dos resultados foi utilizado o escore AOFAS-MTF e controle imageológico por radiografia. Resultados: Verificou-se um aumento pontual significativo do escore AOFAS-MTF que passou de 42p pré-operatório para 82p após a cirurgia (1,95x), tendo sido ao nível da função o maior ganho. Radiologicamente não se identificaram intercorrências. Dos cinco pacientes operados, apenas um se mostrou descontente com a cirurgia, após o surgimento de infecção precoce no local cirúrgico, sendo que corresponde à única complicação pós-op encontrada. Conclusão: A artroplastia total metatarsofalângica METIS-Newdeal® apresenta resultados promissores no curto prazo. No entanto, é necessário avaliar um maior número de casos com um tempo de seguimento mais longo para que se possa obter conclusões mais consistentes.Descritores - Hallux Rigidus; Articulação Metatarsofalângica; Artroplastia.

Uso de enxerto autólogo de cabeça femoral em artroplastia total de quadril primária*

PAULO GILBERTO CIMBALISTA DE ALENCAR; RALF KLASSEN; LEONARDO DAU; MARCEL LUIZ BENATO

Rev Bras Ortop. 1999;34(9):- - Artigo Original
A artroplastia total de quadril em pacientes com displasia do desenvolvimento do quadril ou com deficiência óssea na porção súpero-lateral do acetábulo apresenta problemas técnicos devido à falta de cobertura óssea do componente acetabular. Dentre as diversas técnicas cirúrgicas descritas para esses casos está o uso de enxerto autólogo da cabeça femoral ressecada com a finalidade de aumentar a cobertura. Os autores apresentam sua experiência com essa técnica cirúrgica, em um estudo de 16 quadris em 13 pacientes operados de outubro de 1988 a junho de 1993, com seguimento pós-operatório médio de sete anos e quatro meses (mínimo de cinco anos e dois meses e máximo de dez anos e dois meses). Obtiveram bons e excelentes resultados clínicos em 87,5% dos casos e um índice de revisões realizadas ou indicadas da artroplastia de 12,5% (dois pacientes). Sinais radiográficos sugestivos de soltura asséptica foram observados em quatro quadris (25,0%). Há uma vantagem potencial de que a revisão cirúrgica eventual seria facilitada pelo aumento do estoque ósseo acetabular. Os resultados obtidos sugerem ser essa uma técnica apropriada, no tempo de seguimento mínimo de cinco anos, para artroplastias totais de quadril em pacientes com deficiência de cobertura acetabular.

AVALIAÇÃO DO USO DE ANEL ANTIPROTRUSÃO COM ENXERTO ÓSSEO EM LESÃO ACETABULAR PÓS-ARTROPLASTIA TOTAL DO QUADRIL

FERNANDO JOSÉ SANTOS DE PINA CABRAL; SÉRGIO LUÍS CÔRTES DA SILVEIRA; RAFAEL VELLOZO SPINOLA; PAULO HENRIQUE VAN ERVEN LOUZADA; PAULO G. MANHÃES RODRIGUES

Rev Bras Ortop. 2004;39(11/12):- - Artigo Original
Os autores reviram 35 pacientes nos quais 36 lesões acetabulares (um caso bilateral) foram reconstruídas, utilizando o anel de reforço acetabular antiprotrusão de Burch-Schneider associado à enxertia óssea. Com seguimento médio de três anos, 12 pacientes (33,4%) obtiveram resultados excelentes, 13 bons (36,1%), oito regulares (22,2%) e três ruins (8,3%). No levantamento dos resultados foi utilizado o método de avaliação clínica de Merle D`Aubigné-Postel modificado por Charnley. Observou-se afrouxamento séptico em dois casos (5,5%), porém 94,5% dos casos mostraram consolidação óssea nas áreas enxertadas, sem sinais de falha do implante ou afrouxamento quando avaliados pelos critérios de Gill, Sledge e Müller. O anel antiprotrusão de Burch-Schneider, associado a enxerto ósseo, é um método que tem demonstrado ser eficaz no tratamento das deficiências acetabulares maciças nas cirurgias de revisão do quadril. O objetivo do trabalho é comparar os resultados clínico e radiográfico com a literatura internacional. Seguindo os princípios técnicos recomendados, podem-se esperar resultados satisfatórios a curto prazo. Descritores - Cirurgia de revisão; acetábulo; enxerto-ósseo.

AVALIAÇÃO DA FUNÇÃO HEPÁTICA EM PACIENTES SUBMETIDOS À ARTROPLASTIA TOTAL DO QUADRIL EM USO DE ENOXAPARINA

Felipe Vitiello Wink; Carlos Roberto Schwartsmann

Rev Bras Ortop. 2010;45(2):148-150 - Artigo Original
Objetivo: Avaliar as alterações hepáticas decorrentes do uso de enoxaparina para profilaxia da trombose venosa profunda em pacientes submetidos à artroplastia total do quadril. Métodos: Trinta e dois pacientes submetidos à artroplastia total do quadril, em caráter eletivo, utilizando enoxaparina, foram acompanhados por 65 dias com dosagens seriadas das enzimas hepáticas. Resultados: Foram encontradas alterações laboratoriais em até 75% dos pacientes durante o estudo, que normalizaram após a suspensão do tratamento. Não houve manifestação clínica de lesão hepática. Conclusão: As enzimas hepáticas elevam-se na maioria dos pacientes em uso de enoxaparina, sem correlação clínica, e normalizam após a suspensão do tratamento. Descritores - Enoxaparina; Artroplastia de quadril; Insuficiência hepática; Trombose venosa.

Uso de enxerto autólogo de cabeça femoral em artroplastia total de quadril primária*

PAULO GILBERTO CIMBALISTA DE ALENCAR; RALF KLASSEN; LEONARDO DAU; MARCEL LUIZ BENATO

Rev Bras Ortop. 1999;34(10):- - Artigo Original
A artroplastia total de quadril em pacientes com displasia do desenvolvimento do quadril ou com deficiência óssea na porção súpero-lateral do acetábulo apresenta problemas técnicos devido à falta de cobertura óssea do componente acetabular. Dentre as diversas técnicas cirúrgicas descritas para esses casos está o uso de enxerto autólogo da cabeça femoral ressecada com a finalidade de aumentar a cobertura. Os autores apresentam sua experiência com essa técnica cirúrgica, em um estudo de 16 quadris em 13 pacientes operados de outubro de 1988 a junho de 1993, com seguimento pós-operatório médio de sete anos e quatro meses (mínimo de cinco anos e dois meses e máximo de dez anos e dois meses). Obtiveram bons e excelentes resultados clínicos em 87,5% dos casos e um índice de revisões realizadas ou indicadas da artroplastia de 12,5% (dois pacientes). Sinais radiográficos sugestivos de soltura asséptica foram observados em quatro quadris (25,0%). Há uma vantagem potencial de que a revisão cirúrgica eventual seria facilitada pelo aumento do estoque ósseo acetabular. Os resultados obtidos sugerem ser essa uma técnica apropriada, no tempo de seguimento mínimo de cinco anos, para artroplastias totais de quadril em pacientes com deficiência de cobertura acetabular.

Tratamento de ossificação heterotópica de quadril com uso de aparelho gessado: relato de caso

José Miguel Francisco da Silva Souza; Anna Luísa Franco de Aquino; Andréa Oliveira Basto

Rev Bras Ortop. 2018;53(6):805-808 - Relato de Caso

A ossificação heterotópica pode ser definida como a formação de osso em tecidos que não têm propriedade de ossificação, como em músculos e tecido conjuntivo da região periarticular, sem invasão da cápsula. Essa patologia costuma ter evolução benigna, mas pode causar redução da amplitude do movimento articular e dificultar o processo de reabilitação. A sua etiologia ainda é desconhecida e geralmente tem origem em complicações pós-traumáticas, acomete de 10% a 20% dos pacientes com traumatismo cranioencefálico. Dentre suas manifestações clínicas, pode apresentar dor e limitação da movimentação articular, calor, edema e rubor local e, em alguns casos, febre moderada, espasticidade grave e até anquilose nos estágios mais avançados da doença. O tratamento se baseia na ressecção da ossificação com medidas adjuvantes como anti-inflamatórios não esteroidais, bifosfonato, radioterapia e fisioterapia. Nenhuma dessas modalidades ainda tem uma recomendação precisa de dose, quantidade ou protocolos bem estabelecidos. Ainda, o melhor tratamento é a prevenção. O objetivo deste trabalho é descrever um caso de ossificação heterotópica em quadril após traumatismo cranioencefálico, apresentar as manifestações clínicas e discutir o tratamento instituído com aparelho gessado inguinopodálico.


Palavras-chave: Ossificação heterotópica/terapia; Quadril; Traumatismos encefálicos; Fraturas ósseas

Fratura ipsilateral do fêmur durante a artroplastia total do quadril: revisão de 71 casos*

CARLOS ROBERTO SCHWARTSMANN; MARCO AURÉLIO TELÖKEN; PAULO ARLEI LOMPA; RICARDO KAEMPF DE OLIVEIRA; LEONARDO CARBONERA BOSCHIN; GERSON SANTA CATHARINA; RICARDO CANQUERINI DA SILVA

Rev Bras Ortop. 2002;37(4):- - Artigo Original
De janeiro de 1984 até março de 1999, ocorreram 71 casos de fratura transoperatória do fêmur durante 4.500 artroplastias totais do quadril realizadas no Serviço de Ortopedia e Traumatologia da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre (SOT-SCM/POA). Todos os casos foram de artroplastias primárias, classificadas de acordo com Johansson. Vinte e oito pacientes eram homens e 43, mulheres. A mais freqüente indicação para artroplastia total do quadril foi a osteoartrite (63 casos). A média de idade foi de 58,6 anos. A ocorrência foi maior nas próteses não cimentadas (57 vezes) e, em 14 vezes, em próteses cimentadas. Na maioria dos casos, por se tratar de fraturas estáveis, a simples observação foi a conduta adotada (39 casos). Outros tipos de tratamento utilizados foram: uso de haste longa, cerclagem, placas e parafusos. Os melhores resultados foram obtidos quando a resolução foi feita no próprio ato cirúrgico em que ocorreu a fratura.

Saturnismo causado por projétil de arma de fogo no quadril Relato de três casos*

ROBERTO CAVALIERI-COSTA; CARLOS ALBERTO STAPE; ITIRO SUZUKI; WALTER HAMILTON CASTRO TARGA; ANTONIO CARLOS BERNABÉ; FERNANDO GASPAR MIRANDA; LAFAYETTE AZEVEDO LAGE

Rev Bras Ortop. 1994;29(6):- - Artigo Original
São descritos três casos de saturnismo causado por projétil de arma de fogo alojado na cabeça femoral. São feitas considerações sobre a intoxicação pelo chumbo de forma geral e abordada especificamente a intoxicação que ocorre por projéteis alojados no organismo.

Filtrar

Anos


Tipos de artigos